Logo do blog

Logo do blog

publicidade5

publicidade5

domingo, 31 de outubro de 2010

Eleição Presidencial - 2º Turno - Baixada Litorânea

Brasil: Dilma = 55 milhões de votos (56%); Serra =  43 milhões (44%).

Estado do Rio de Janeiro: Dilma = 4. 934.077 (60,48%); Serra = 3.223.891 (39,52%)

Apesar de ter ganho no Brasil com mais de 56% e no Rio de Janeiro com mais de 60%, Dilma perde em 7 dos 9 municípios da Baixada Litorânea. Só ganha em Rio das Ostras (22.113 X 19.463) e Saquarema (19.339 X 17.900). Perdeu em Armação dos Búzios (8.122 X 6.682), Arraial do Cabo (8.943 X 7.169), Araruama (31.912 X 24.381), Cabo Frio (49.667 X 37.615), Casimiro de Abreu (9.314 X 8.130), Iguaba Grande (6.645 X 5.919) e São Pedro da Aldeia (18.858 X 17862).

Como explicar isso? A força das religiões evangélicas na Região? O evangelhismo não é forte em Rio das Ostras e Saquarema? Ou faltou empenho dos prefeitos dos outros municípios? Contribuiu também para a derrota de Dilma a fraqueza do PT nessas cidades? Em Maricá, onde o prefeito é do PT, Dilma ganhou por 31.126 a 22.709. Lá o protestantismo não é forte? Quem se interessa por política ou faz política nestes municípios, têm que responder a estas perguntas para saber a realidade  onde está pisando. 

222 

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Programa ProJovem V

Tive acesso à apostila "Cadernos Pedagógicos- Português, Matemática" do curso Projovem Trabalhador de Búzios. Na página 37, com o título "Veja os seus direitos", encontramos:

"...Por isso, o mais conveniente pode ser o empregado procurar informar-se sobre essas questões, antes de acenar as contas com a empresa. Quando o demitido tem um ano ou mais de trabalho na empresa, a rescisão do contrato é assinada no sindicato da categoria ou na Delegacia Regional do Trabalho. Quando tem menos de um ano, o aceno é feito na própria empresa. O advogado especializado em direito do trabalho, Carlos Balarem explica que, ao ser demitido o em-pregado tem os seguintes direitos trabalhistas:"

Vamos acenar as contas? Para quem? 

"Saldo salarial: recebe pêlos dias trabalhados no mês."

Quanto mais trabalhar mais "pêlos" recebe?

"Aviso prévio: um salário, de valor igual ao do mês de demissão. Aqui o em-pregado tem três opções: dispensar o em-pregado de trabalhar no período de aviso prévio: exigir que se trabalhe durante os 30 dias, mas dispersando-o três horas mais cedo ..."

Está na hora da dispersão? Não existe ; ?

"Fundo de garantia: o dinheiro do FGTS deve ser sacado na Caixa Econômica Federal. Mas os 40% do Fundo de Garantia não são mais pagos ao trabalha-dor na hora da rescisão do contrato..."

Vamos trabalhar a dor?

"Acordo coletivo: alguns sindicatos costumam negociar benefícios adicionais para proteger o trabalhador no caso de de-missão."

Qual é a missão de?

 "11. Leia o texto abaixo para informar-se sobre as profissões e setores que tendem a expedir ou não."

Profissões expedem o que?

"Depois de ouvir especialistas da área de recursos humanos, é possível apontar os setores e profissões que prometem se expandir em 2005 no Paraná."

Em primeiro lugar, qual o interesse que têm os estudantes de Búzios no mercado de trabalho do Paraná? Pegaram a apostila de lá e enfiaram goela abaixo dos nossos alunos. Economia de gastos? Búzios gasta R$ 794.937,50 com o curso! É muito dinheiro e muito pouco caso com nossos jovens.

Em segundo lugar, fica claro que a apostila foi feita a toque de caixa, o que resultou em um trabalho cheio de êrros de impressão. Tem trechos que, por causa dessas falhas, ficam incompreensíveis.

Em terceiro lugar, tem uma piadinha de muito mau gosto sobre funcionário público com o sugestivo título "ninguém trabalha" (página 31). Alô ASFAB. Alô Osmane, estamos aguardando seu pronunciamento.

Nas outras duas apostilas dos "Cadernos Pedagógicos" - Básico e Inclusão Digital- os êrros se repetem.

Se trata aqui de uma coisa muito séria. Não se brinca com a educação de jovens buzianos impunemente. Estou enviando este post para todos os grandes jornais do país, para o Ministério do Trabalho, para o Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro (reclamação 115548) , Ministério Público Federal (2010.09.29.132639), , Controladoria Geral da União, Jornal Primeira Hora, Jornal O Perú Molhado e ASFAB.


Comentários:

Michael disse...
Companheiro,

A apostila tem texto do Paraná? Coincidência ou não, a prefeitura de Londrina está sendo acusada de irregularidades na contratação do IDESH (mesmo contratado aqui em Búzios, Salvador e em muitas outras prefeituras do PDT) para execução do PROJOVEM.
Michael disse...
Companheiro,

digitei a combinação "IDESH+PROJOVEM+PDT" e aparece muita coisa interessante (até um post do seu blog antigo, rs)...
mas no link "http://rdnews.com.br/curtinha/556" clikei em outro link "http://muraldamutreta.blogspot.com/" e li isso:

" CONEXÃO PROJOVEM

As muitas irregularidades constatadas na execução do PROJOVEM Brasil afora não são meras coincidências. Se não todas, pelo menos grande parte delas podem ser parte de um grande esquema nacional para reforçar o caixa 2 em época de eleições.

Pelo que transparece do cruzamento de informações públicas, o PDT tem um belo esquema para se beneficiar com o programa.
Vejamos a lista de coincidências:

Ministro do Trabalho: Carlos Luppi – PDT

Presidente nacional do PDT: Carlos Luppi - PDT

Secretário indiciado pela PF em Porto Alegre por desvio de dinheiro do PROJOVEM: Mauro Zacher - PDT

Assessor Especial do Ministro Carlos Luppi: Flavio Zacher

Nome forte do PDT no interior do RS: Fabio Zacher

Sempre presente em eventos do PROJOVEM no RS: Flavio Zacher

Entidade com maior número de contratos para executar o PROJOVEM: IDESH

Contratou o IDESH sem licitação em Salvador: Carlos Ribeiro Soares- PDT

Tesoureiro do PDT condenado pelo TCU a devolver 100 mil reais: Carlos Ribeiro Soares

Prefeito que contratou o IDESH sem licitação em Búzios-RJ: Mirinho Braga-PDT

Amigo pessoal de Carlos Luppi em Búzios-RJ: Mirinho Braga

Contratou o IDESH em licitação irregular em Londrina PR: Barbosa Neto – PDT

Cidade cuja justiça viu irregularidades na licitação do IDESH: Londrina

Insistiu na contratação do IDESH mesmo após tomar conhecimento dos problemas que o instituto causou em Salvador: Barbosa Neto – PDT

Único Secretário londrinense que não cai nas constantes trocas feitas por Barbosa Neto: Flavio Passos de Góes

Origem do secretário que nunca cai, Flavio Passos de Góes: nordeste

Origem de Carlos Luppi: nordeste

Região do país quem tem maior número de denúncias do PROJOVEM: nordeste

Secretário do nordeste que contratou empresas sem licitação para o PROJOVEM: Weverton Rocha - PDT

Secretário denunciado pelo MP por fraudes no PROJOVEM: Weverton Rocha - PDT

Subtraiu 656 colchões da Defesa Civil no Maranhão: Weverton Rocha- PDT

Cidade do país com maior número de irregularidades no PROJOVEM: Salvador

Quem executou o PROJOVEM em Salvador: IDESH

Eterna colaboradora e assessora de Barbosa Neto: Camilia Gilioli

Quem enviou e-mail a partir do gabinete do prefeito Barbosa Neto para funcionários da prefeitura de Londrina para alocarem apaniguados PROJOVEM de Londrina: Camilia Gilioli

Investigado pelo MP por nomeações prévias para o PROJOVEM: Barbosa Neto - PDT

Secretário que não fiscalizou direito a execução do PROJOVEM em Curitiba, permitindo um atraso de mais de seis meses: Jorge Bernardi - PDT

Anterior ocupação do secretário Jorge Bernardi: Deputado Estadual no Paraná

Anterior ocupação do prefeito Barbosa Neto: Deputado Estadual no Paraná

Anterior ocupação de Camilia Gilioli: assessora do então deputado estadual Barbosa Neto

Perdeu licitações do PROJOVEM por, conforme julgamento expresso das comissões, não ter experiência e capacidade nas cidades de Maceió e Maringá: IDESH

Mês em que o IDESH foi afastado da licitação em Maringá por não ter documentos que comprovem experiência e capacidade: Junho/10

Mês em que o IDESH foi contratado pelo prefeito Barbosa Neto, mesmo depois de recurso administrativo interposto pela perdedora o qual mostrava o histórico da entidade em Salvador: Junho/10

Se tudo isso é só coincidência, tanto melhor para eles. Mas você acredita em tantas coincidências assim?"

Falar mais o quê companheiro?

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

IX Festival Gastronômico

Realização da Secretaria de Turismo e Cultura, organização competente de Gil Castelo Branco, o Festival Gastronômico é disparado o melhor evento realizado no balneário. O mais completo, o mais charmoso e o mais glamoroso. Aconteceu nos dia 22 e 23 de outubro.

No ano passado trouxe para a cidade cerca de 20 mil turistas. Segundo dados da prefeitura, na ocasião, a rede hoteleira ficou com 90% dos leitos ocupados. Para este ano, a expectativa é de um crescimento de 20% no número de pessoas na cidade.

Foto: lagosta grelhada no carvão e molho de ervas do restaurante do David. Uma delícia.

220

Baleia encalha na praia de Geribá

Rebocador será usado para salvar baleia Jubarte que encalhou em Geribá, Búzios
Fonte: O Globo
BÚZIOS – Dezenas de turistas continuam acompanhando as tentativas de salvamento da baleia Jubarte que encalhou nesta segunda-feira na praia de Geribá, em Búzios . Os bombeiros estão aguardando a chegada de um rebocador para levar a baleia para alto mar. Com cerca de 15 metros e pesando 30 toneladas aproximadamente, o mamífero vem sendo monitorado por várias equipes.
- As equipes de salvamento estão fazendo de tudo para manter a baleia viva. Os bombeiros e os turistas estão jogando panos encharcados de água na parte da baleia que está fora de água. É uma situação dramática – disse o fotógrafo Sérgio Quissak.
O prefeito de Búzios, Mirinho Braga, disse que a prefeitura pediu auxílio à Marinha do Brasil mas o rebocador apresentou defeito. Foi pedida ajuda à Petrobras, mas a tentativa foi em vão porque não há calado na praia de Geribá para aproximação do rebocador.
- Agora estamos tentando um rebocador menor para auxiliar na operação com auxílio de cordas. É um trabalho complicado, mas vamos tentar salvar a baleia – disse o prefeito.
Segundo levantamento do Instituto Baleia Jubarte, o mamífero de Búzios é o de número 90 que encalhou nas costas brasileiras este ano. O número é recorde. No ano passado foram 30 ocorrências e, em 2007, ano considerado recorde até então, foram 43 casos. A Bahia foi o estado que teve mais encalhes este ano, com 33 casos, seguida do Espírito Santo, com 30, o litoral de São Paulo com sete e, Rio de Janeiro, sem contar a de Búzios, com seis casos.
Observação: a primeira foto é de Sérgio Kissak, do blog da prefeitura de Búzios. A segunda, é minha.

Últimas notícias:

A baleia jubarte encalhada na praia de Geribá, em Búzios, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, morreu nesta quarta-feira por volta de 0h30. Segundo o Instituto Baleia Jubarte, o animal, que estava preso desde segunda-feira (25), sofreu uma convulsão. (Fonte: último segundo, IG)
219

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Aluguéis de imóveis

Segue abaixo a relação dos imóveis alugados pela prefeitura. Apresentamos o órgão que funciona no local, em seguida o valor do aluguel e o nome do locador. Pedimos aos leitores que nos ajudem a verificar se os aluguéis correspondem ao valor de mercado. Se não quiserem fazer nenhum comentário aqui, podem enviar um e-mail para mim (luizdopt@gmail.com) .
1) Arquivo Geral da Prefeitura. Aluguel:  R$ 2.000,00. Locador: João Carlos Alves de Souza.
2) Escola Municipal Profº Manoel Juvenal (RUA PROGRESSO, 50, CEM BRAÇAS). Aluguel: R$ 3.500,00. Locador:  Marcos Carvalho dos Santos.
3) Vigilância Sanitária e Almoxarifado Central. Aluguel : R$ 2.400,00. Locador: Gotz Walter Leider.
4) PSF do bairro Cruzeiro – Rasa  (RUA ALVARO ELIDIO GONÇALVES, Nº24). Aluguel: – R$ 1.874,09. Locador: Maria Quintanilha da Silveira.
5) P.S.F no bairro Capão (RUA CUSTODIO ALVES, 86/88, CEM BRAÇAS). Aluguel: RS 1.041,89. Locador: Maria Regina Alves de Assis.
6) PSF Baía Formosa (LOTE 12.810 DA EST.CABO FRIOXBUZIOS;INTEGRANTE DO LT.15 EST DA RASA). Aluguel: R$ 729,32. Locador: Valmir Lopes Antunes.
7) PSF (Programa Saúde de Família) no bairro José Gonçalves. Aluguel: R$ 729,32. Locador: Reinaldo Carvalho de Souza.
8) PSF (Programa Saúde de Família) no bairro José Gonçalves. Aluguel: R$ 1.354,46. Locador: Manoel Cota Machado.
9) CAAPE – Centro de Apoio e Atendimento ao Educando – Bairro Manguinhos. Aluguel: RS 1.000,00. Locador: Marília Vieira da Silva.
10) Biblioteca Municipal. Aluguel: R$ 2.400,00. Locador: Luc Josef Michel Vaninbroukx.
11) Secretaria de Educação. Aluguel: R$ 7.000,00. Locador: Christiano Fernandes Saraiva e Brenda Monteiro Saraiva.
12) Núcleo da Escola de Música Vila Lobos/Tom Jobim. Aluguel: R$ 2.200,00. Locador: Sueli Trindade Lopes.
13) Posto dos Correios ( RUA JOSE B R DANTAS, LJ.3 E 4 RASA ). Aluguel: R$ 1.300,00. Locador: Luiz Carlos Veloso Solon.
14) Sede da Secretaria de Serviços Públicos (AV JOSE B.R.DANTAS, BALNEARIO RASA, QUADRA A BLOCO B, LT.1). Aluguel: R$ 2.500,00. Locador: Manoel Gonçalves dos Santos.
15) Guarda de Bens Patrimoniais com Defeito/Inservíveis. Aluguel: R$ 1.400,00. Locador: Marcio Luiz de Souza Ferreira.
16) Superintendência de Controle de Veículos Públicos. Aluguel: R$ 5.000,00. Locador: Diogo Comércio e Indústria Ltda-ME.
17) Conselho Tutelar. Aluguel: R$ 1.301, 10. Locador: Luc Josef Michel Vaninbroukx.
18) Centro de Atendimento ao Turista. Aluguel: R$ 5.000,00. Locador: Colônia de Pescadores Z-23.
19) Sede da Secretaria de Ordem Pública. Aluguel: R$ 8.000,00. Locador: Monica Oberg.
20) Sede da Secretaria de Esportes. Aluguel: R$ 1.600,00. Locador: Francisco Carlos da Silva Moreira.
21) CEPEDE (Centro de Pesquisa/Desenvolvimento da Educação – Bairro Manguinhos). Aluguel: R$ 2.000,00. Locador: Geovani Mureb Tardelli.
22) DETRAN. Aluguel: R$ 6.500,00. Locador: Antonio José Ramos Freire.

23) Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente. Aluguel: 8.281,58. Locador: Macom Representações Ltda.

Comentários:


Michael disse...
Companheiro, O posto do corpo de bombeiros ali em Cem Braças também paga aluguel. Por aqueles containers pagamos R$ 3.200,00 em favor da Novo Horizonte Jacarepaguá. Pelo terreno o município não paga aluguel,pois foi cedido. Grande abraço, Michael
luiz do pt disse...
Obrigado Michael pela sempre boa contribuição. Pesquisei no site transparência do mês passado e não encontrei este aluguel. Soube depois que estamos pagando aluguel para uma casa-depósito de animais... Um abração, Luiz
Michael disse...
Companheiro, veja a liquidação em 18/10 e encontrará... As ferramentas do "contas públicas" ainda não existem, por isso a dificuldade; mas levando em conta que Búzios saiu adiantado no site, terá tempo para testar e aperfeiçoar este importante meio de informação e controle social. Quanto ao imóvel para abrigo de animais, não tenho conhecimento também....

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Tito Rosemberg

Navegando na internet encontrei uma entrevista do grande ambientalista Tito Rosemberg (foto ao lado, extraída do seu site). Não tive o prazer de conhecê-lo. Por considerar suas colocações muito atuais, as registro aqui para que sirva de objeto de reflexão.



O que é Búzios hoje (2003)
Buzios se tornou “um shopping a céu aberto, barulhenta, desordenada, mal acabada e favelizada por ricos e pobres.”
“Búzios era um Rolls Royce que preferiu tornar-se um fusquinha. Como eu adoro morar em lugares lindos e Búzios, já em 97, quando fui embora, estava num rumo muito feio, preferi seguir meu caminho. Eu posso viver bem em qualquer lugar do mundo, é só harmonizar-me com a natureza local, o que hoje em Geribá ou João Fernandes, como em outros pontos da península, tornou-se impossível.”

Nativos
“O primeiro requisito para uma cidade não ser violenta nem violentada é ter moradores que a amem mais do que amam o dinheiro. Seduzidos como os antigos índios pelo brilho dos espelhinhos, muitos nativos venderam suas belíssimas propriedades” para pessoas que “preferiram transformar a cidade num vale-tudo!”
Especulação imobiliária
“Quando o capital internacional se une a espertinhos tupiniquins visando encaixotá-la para vender, as chances de uma comunidade sobreviver são poucas, principalmente num país com tantos políticos corruptos e funcionários públicos sem ética.”
 Otavinho
"Chegou modesto na península décadas atrás e enriqueceu fazendo construções aí. Sabe como viver, tanto que isolou-se dentro de um imenso paraíso ecológico enquanto ajudava a cidade a tornar-se uma feia colcha de retalhos. É o clássico faça o que eu digo e não o que faço. Ao seu redor quer a natureza protegida, quer o barulho dos passarinhos, dos poucos animais selvagens que ainda restam na região. Mas para a plebe lá fora quer dar o cimento, os muros, o barulho, a ocupação intensa mesmo se pretensamente ordenada".
A política em Búzios
“Me lembro muito bem de quantas pessoas humildes, nativas de Búzios, vieram me procurar durante a campanha política (de 1996) dizendo que sabiam que eu os defenderia na Câmara, que era um excelente candidato mas... que fulano pagou a dentadura da mulher e ele devia este favor. Outro tinha recebido telhas para cobrir a casa do filho. Um outro havia sido ajudado por um candidato para conseguir uma operação para seu irmão. E assim votariam nele. A política buziana é feita assim, ao estilo Macunaíma bem brasileiro, e eu conheço centenas de casos iguais. E se os eleitores são corrompíveis e vendem seus votos, que políticos eles elegem? Quem corrompe os eleitores? Um cara honesto e bem intencionado? Claro que não! Por isto acho que sem a participação da população organizada, só picaretas chegarão ao poder, e uma vez lá estarão à serviço de quem pagar mais. São os “políticos-táxi”, pagou – levou!”
Pornografia político-partidária buziana

“Vejo nestes dias a enésima tomada vergonhosa do Partido Verde de Búzios, outrora respeitado como polo gerador de discussões filosóficas de valor relevante, e hoje verde porque é com o “outro” verde que agora se faz política. É com imensa tristeza que vejo a atual pornografia político-partidária buziana, onde as pessoas não aglutinam-se em torno de uma idéia, mas sim de um lucro, um golpe, uma triste cena que me envergonha e me fez em 96 retirar meu nome do Partido Verde que não mais representava a ética na política, uma idéia que sempre me seduziu. Neste cenário onde partidos estão à venda, só a aglutinação dos moradores em torno de suas associações pode impedir com que estes picaretas continuem defendendo seus interesses particulares. Cidadãos éticos, preocupados com suas comunidades tem que se unir organizadamente para contrabalançar as forças deste mal que corrói a nossa política.” 
Perseguição política em Búzios

“Me lembro de comerciantes vindo me dizer que um prefeito havia pedido a eles que não anunciassem no jornal que fundei, e dirigi, pois eu seria um “traidor” da comunidade. Recebi ameaças de morte pelo telefone, e avisos assustadores até de pessoas que hoje já não estão mas vivas. Soube de fontes mais do que confiáveis de uma reunião na casa de um famoso arquiteto onde discutiu-se sobre “como dar uma lição” em mim, envolvendo até a possibilidade de uma surra. Aí fiquei assustado. Um prefeito-pasteleiro de Cabo Frio, hoje tragado pela sua própria insignificância histórica (alguém se lembra dele?), mandou publicar nos jornais de Cabo Frio uma “nota de repúdio” acusando nosso jornal de “racista”, logo o jornal mais dedicado às causas sociais. Uma acusação que me deu trabalho para mostrar que era apenas a sub-política manipulando gente pouco inteligente. Felizmente me saí bem, mas vi como pessoas desonestas podem chegar até a dirigir a prefeitura de uma cidade importante. Felizmente a história não compra pastéis de vento.”
Ser ambientalista em Búzios 
“A qualidade de vida que eu tanto amava e precisava estava cada dia pior. A situação da água e do esgoto agredia a cidade, os especuladores imobiliários, unidos a arquitetos e engenheiros inescrupulosos faziam campanha cerrada contra nós ambientalistas e a população não nos endossava.”
O movimento comunitário

“Mas estou muito feliz por notar que já existe em Búzios uma comunidade diversa de amantes da cidade, aqueles que mesmo sendo comerciantes e hoteleiros endossaram a proposta do desenvolvimento sustentável, que significa tentar preservar o que ainda restou da belíssima natureza e da comunidade buziana. Com a união de todas as vertentes do movimento comunitário, inclusive a dos poderosos comerciantes e hoteleiros, Búzios poderá conter o crescimento desordenado e encontrar a qualidade de vida que merece, pois ainda é um dos lugares muito poderosos do planeta.”

Meio ambiente de Búzios
“ Vejo que o cimento ainda é o grande vetor da economia, e muito mais construções do que deveriam ter. A ocupação das encostas deu uma tristeza danada, e as valas negras saindo nas praias, como em Manguinhos, deram vontade de chorar.”
A favelização de Búzios
“Sou convidado a falar sobre o processo de favelização de Búzios e como evitar que se repita aqui a tristeza que se passou aí, e ainda não terminou. A história da degradação do “destino-Búzios” já está sendo útil para que os cidadãos de Jericoacoara não caiam na mesma cilada. Sempre mostro as fotomontagens que fiz em 1995 prevendo uma hecatombe imobiliária em Búzios.”
Os golpistas da cidade
“ Depois de ser vítima de dois estelionatários que compraram coisas minhas e nunca pagaram, me causando profunda tristeza, passei a sentir-me mal quando visitava a península porque os via transitando normalmente pela cidade e sendo aceito pela comunidade. Como nestas coisas sou meio radical, tomei um bode das pessoas que compartilham mesas de bar com gente desonesta. Aliás, esta é uma coisa que sempre me deixou curioso: porque em Búzios há tanto espaço para golpistas?”
As moscas e os mosquitos de Búzios

“Aliás, passei por uma experiência surrealista quando estive aí da última vez há poucos meses: fui com amigas beber num gostoso barzinho de frente para o mar perto da Escola João de Oliveira Botas, e ver o glorioso por do sol que aí é dos mais lindos do mundo. Barcos no horizonte, céu vermelho, mar roxo, nuvens violetas, um espetáculo esplendoroso e nós embasbacados. Quando de repente uma nuvem imensa de mosquitos nos atacou com tal ferocidade que todos os clientes se levantaram e fugiram correndo, o barzinho fechou e até quem passava pelo calçadão teve que correr para fugir do ataque doloroso destes insetos de tão fácil controle. Pude perceber que alem de estar entregue às moscas, Búzios estava também entregue aos mosquitos e a insensibilidade dos responsáveis. Nunca vi tantos mosquitos fazendo as pessoas correrem de medo. Me deu uma baita tristeza e muita coceira.” 
Entrevista dada ao Jornal de Búzios, julho de 2003.

Para ver a entrevista completa acessar http://360graus.terra.com.br/titorosemberg/index.htm

Comentários:

Adriana Di Macedo disse...
Olá! Bela entrevista! Nunca vi tanta sinceridade. São cidadãos que falam o que pensam e buscam o que é seu por direito que Búzios precisa! Valeu Luiz, valeu Tito! Um abraço! Adriana Di Macedo
luiz do pt disse...
Adriana, obrigado pela visita, pelo comentário. Um abraço, Luiz
217

domingo, 24 de outubro de 2010

Recordar é viver VI

Fernando Naxcimento
Gil Castelo Branco
Ruy Borba Filho

Folheando jornais antigos encontrei uma "pérola" do jornalismo Buziano. Escrito pelos dois primeiros citados acima e comentado pelo último na coluna Nossa Opinião, o texto recebeu o título "Porque Toninho Branco venceu" e foi publicado no dia 05 de outubro de 2004, no JPH. 

..."Toninho Branco venceu a eleição porque: 

1. Soube demonstrar por atos e palavras para o povo buziano que é homem honesto e trabalhador e chefe de família temente a Deus. E provou que é o político mais capacitado para governar com eficiência e dignidade a nossa cidade;

2. provou que é um democrata e homem de conciliação, e que está convicto da enorme urgência de serem realizadas mudanças econômicas e sociais radicais em nossa cidade; 

4. por seu exemplo, provou ao povo que sua primeira opção , como prefeito, será sempre pelos mais carentes, por aquelas comunidades desamparadas da periferia, sem distinção de raça, credo, ou coloração política; 

5. sendo homem de moral e honestidade inatacáveis, ganhou a confiança do povo buziano. Búzios sabe que, sob sua responsabilidade, o dinheiro público permanecerá sendo o que deve ser: dinheiro público, que será apenas utilizado na criação de oportunidades de crescimento, desenvolvimento e bem-estar da população; 

7. soube demonstrar ao povo buziano que não vai governar apenas para poucos, mas para toda a população...

8. governará com um grupo de pessoas capazes e honestas, voltadas todas para o bem público...

10. Enfim, soube provar para o povo buziano que a iluminação divina o guiará em todos os momentos, para que jamais deixe de lado o interesse público e as coisas do povo de Búzios. E que, como defensor intransigente da Cidade, conta com o apoio da comunidade inteira para realizar todos os seus sonhos cívicos." 

Comentário "Nossa Opinião":

"O Primeira Hora está certo de que governar é encurtar distâncias. E este foi o coração verdadeiro das propostas de Toninho Branco, encurtar as distâncias sociais, encurtar as distâncias geográficas, numa cidade dividida por uma casta, que se apropriou do aparato do poder municipal e das políticas públicas, pouco comprometidas com os interesses comuns".

Que coisa, hein! Sem comentários. O texto diz tudo.

Ver: "Recordar é viver, introdução, I, II, III, e IV"
Ver: "Recordar é viver V"
216

Ainda acredita

Post 144 do blig
Data da publicação: 16/08/2010 00:14 

Na sessão de terça-feira, dia 10/08, o vereador Lorram, que ainda acredita no prefeito (não é o meu caso), fez um desabafo emocionado criticando secretários e diretores (na verdade coordenadores e gerentes na nova estrutura administrativa) que não se empenham como deveriam nas ações governamentais. Afirmou que anda com os seus celulares ligados 24 horas por dia sempre disposto a atender às reivindicações da população buziana e que, por isso, não admite que eles (secretários e diretores) só trabalhem de segunda a sexta e, assim mesmo, até às 5horas. Depois desse horário e nos finais de semana não se consegue falar com eles. Foi muito aplaudido quando exortou: “ quem não está jogando no mesmo time tem que pedir para sair.”

Registro o fato aqui pela sinceridade do desabafo. 

Comentários (3):

 Jose de Figueiredo Sena disse:

Luiz
Eu estava junto de voce na hora do desabafo do vereador
Lorram, eu tambem senti muita ” SINCERIDADE” nas
palavras dele como lider do governo. Isto é muito bom .
Até mais
Sena

2. 17/08/2010 às 1:22
 Jose de Figueiredo Sena disse:

Luiz
Que o governo Mirinho tem muita coisa errada, isto tem mesmo. Tem muita gente no lugar errado, tem mesmo.
Agora, eu ainda tenho esperança no governo do Mirinho.
Porque de ” BOBO ” o Mirinho não tem nada. Ainda falta
dois anos , se a liminar não derruba-lo , vamos ter um
bom final de governo.
Até mais
Sena

3. 17/08/2010 às 2:42
luizdopt disse:

Caro amigo Sena, quem dera eu estivesse enganado. Seria melhor para a cidade….um abraço…Luiz

214 (144)

“Direito de protocolo”

Post 143 do blig
Data da publicação: 15/08/2010 21:03

Foi aprovado na sessão de terça-feira (dia 10/08), por 4 votos (Evandro, Genilson, Joãozinho e Lorram) contra 1 (Joyce)-  estando ausentes 3 vereadores (Felipe, Nobre e Leandro)-, requerimento do vereador Evandro pedindo que a prefeitura forneça todos os protocolos de licenças de obra expedidos desde o dia 1/1/2009. O vereador Evandro conseguiu convencer seus pares, inclusive vereadores da base do governo, ao denunciar que protocolos estariam sendo vendidos. Suspeita-se que funcionários corruptos da prefeitura estariam pulando a numeração dos protocolos para depois vendê-los com data retroativa. Assim qualquer mudança na lei não precisaria ser cumprida. Acredita-se que a prática esteja servindo para burlar o fim da lei 20 – a lei das casas geminadas em cima (sobrepostas) e em baixo (justapostas).

A especulação imobiliária em Búzios não descansa. Consegue quase tudo o quer tanto num governo quanto no outro, o que revela as semelhanças entre eles.

No governo anterior, quando da elaboração da Lei do Uso e Ocupação do Solo (LUOS) – Lei Complementar 14/2006- o prefeito Toninho Branco, atendendo a interesses desses setores vetou o seu artigo 49, justamente aquele que acabava com o direito de protocolo. Ele chegou a publicar a Lei com o artigo 49 vetado sem que os vereadores tivessem votado o veto. O que se pretendia era beneficiar alguns poucos que souberam da lei e que, por isso, protocolaram seus pedidos de licença. Têm certas coisas que só acontecem em Búzios!

215 (143)

Cadê o Plano de Saúde, prefeito?

Post 142 do blig
Data da publicação: 14/08/2010 23:16

No debate dos candidatos a prefeito de Búzios, Mirinho prometeu: “Vou reimplantar o Médico de Família, ampliando o seu espectro de serviços (nas equipes pretende introduzir outros profissionais da saúde, como fisioterapeutas), e retomar o Plano de Saúde do morador, que no meu governo tinha acesso a clínicas particulares sempre que necessário” (Jornal Primeira Hora, 6/09/2008).

Entrevistado no PH no AR Mirinho disse: “Na saúde tínhamos um Plano de Saúde. Todo o buziano era atendido, segundo as suas necessidades. A população tinha acesso às clínicas de saúde” (JPH, 02/08/2007).

Estive no dia 11 (11/08/10) na Policlinica de Búzios para marcar consulta com um urologista. Fui informado que o dia de marcação para essa especialidade tinha sido no dia anterior, dia 10, e que a próxima data seria no mês seguinte, setembro. Fui informado também que em setembro eu deveria comparecer todos os dias à Policlínica para saber o dia de marcação do médico nesse mês.

É esse o Plano de Saúde que o senhor prometeu nas eleições? Somente um povo passivo e acomodado para se sujeitar a um tratamento desumano como esse numa área tão vital como é a área da saúde. O dia em que o povo  tomar consciência que é um direito seu receber um tratamento digno, essas práticas excludentes cairão por terra. Basta reunir 500 cidadãos indignados em frente da Policlínica que imediatamente teremos marcação de consultas para qualquer especialidade todos os dias. Logo, logo, teríamos uma saúde de qualidade porque nossos governantes morrem de medo de povo nas ruas.

213 (142)

Prefeito com minoria na câmara I

Post 141 do blig
Data da publicação: 13/08/2010 13:03

Esse desgoverno está cada vez mais parecido com o desgoverno anterior. Vislumbra-se na câmara um movimento de um grupo para a eleição do novo presidente da casa que poderá deixar Mirinho com minoria no legislativo.

Em 2006 – também ano eleitoral- o candidato a deputado estadual, Alair Corrêa, por conta de uma briga com Toninho Branco, conduziu uma aliança entre “seus” dois vereadores- Francisco Neves e Flávio Machado- e os vereadores “de” Mirinho- Messias, Alexandre e Henrique- para dominar a câmara e impedir que o prefeito governasse. Toninho teve, a partir daí, que negociar cada centavo que precisasse.

Agora, o candidato a deputado estadual, Paulo Melo, já tem uma base parlamentar com quatro vereadores: Genilson, Joãozinho, Felipe e Nobre. Só falta mais um vereador para ele ter maioria. Em Búzios não é difícil se conseguir essas coisas. Se quiser- com o controle que tem do PMDB estadual-  o deputado “forasteiro” pode enquadrar facilmente o vereador Evandro e eleger o ”seu” presidente para a casa legislativa. Se isso acontecer, o “prefeito” Mirinho vai ficar muito parecido com a Rainha da Inglaterra: será uma mera figura decorativa com o verdadeiro poder nas mãos do “forasteiro”.

Uma prova dessa fragilidade politica do “prefeito” Mirinho Braga é o fato de nada fazer em relação à infidelidade partidária do vereador de sua base e de seu partido, Joãozinho Carrilho. Daqui pra frente a tendência é vermos o poder definhar em suas mãos, assim como aconteceu com o governo anterior. Isso é o que dá lotear a prefeitura. 

Comentários (2):

Michael disse:

Companheiro Luiz,
Seguindo seu raciocínio a respeito da eleição da presidência ser conduzida e articulada pelo deputado “forasteiro”, usando suas palavras, “com o controle que tem do PMDB estadual”, concluo que nesta linha teremos um Presidente do PMDB, certo?
Afinal, “enquadrar” vereadores na linha de fidelidade partidária seria bastante razoável com esta finalidade, pois a bancada do partido tem 3 vereadores…
Resta saber é se os outros 2 vereadores que você cita como “base parlamentar do deputado forasteiro” também seguem esta linha de raciocínio, rs
Abraços e mais uma vez parabéns pelo blog.

2. 15/08/2010 às 13:59
Luiz do PT disse:

Caro companheiro Michael, o teu raciocínio tem uma boa lógica interna. O problema é que em nossas análises políticas as vezes a gente projeta nos fatos aquilo que a gente quer que aconteça.Isso é muito natural. Até na fisica quântica se reconhece que o cientista observador interfere no resultado da experiência. Voltemos à câmara de vereadores de Búzios.
Os dois vereadores do PMDB estão unidos em torno de uma candidatura “alienígena” a deputado estadual. Não existe união em torno de um projeto para a cidade, que poderia desembocar na eleição para a presidência da câmara. Se existisse projeto, o objetivo de conseguir a Presidência da câmara não seria só pela presidência mas para pô-lo em prática. Como não existe um projeto de cidade, teremos uma disputa pura e simples pelo poder que representa a Presidência. Nesse caso, os três vereadores do PMDB poderiam aceitar eleger um presidente de fora do partido pois a articulação para elegê-lo os colocaria com uma fatia do poder legislativo. A nova mesa diretora logicamente seria composta pelos vitoriosos. Não seria interessante para eles?

Obrigado pelos elogios…. Um abraço, Luiz.

Ver: "Prefeito com minoria na câmara II"
Ver: "Prefeito com minoria na câmara III"

212 (141)

Onde o exercício do magistério tem sido possível

Post 139 do blig
Data da publicação: 11/08/2010 22:38

Recebi o texto abaixo da professora e amiga Cristina Pimentel. Publico-o aqui no blog pela sua importância no debate sobre a educação brasileira.

O magistério, como toda profissão, engloba um conjunto de saberes e práticas específicas que a diferencia das demais. Contudo, no Brasil, é uma profissão que tem se ressentido de uma visão retrógrada, não exclusivamente, mas muito responsável pela proletarização do magistério municipal e estadual, com vistas a oferecer o mínimo de formação ao povo brasileiro. Senão, vejamos.
Espera-se que um professor, antes de entrar numa sala de aula, tenha tido tempo de pensar um conjunto de atividades que mobilizem uma determinada classe em torno de um conjunto de propostas e que esse processo de mobilização, ao final de um período de aula, tenha sido capaz de apresentar alguns resultados, de acordo com os objetivos traçados e outros que vão se colocando, no decurso. Ao longo da aula, o desgaste subjetivo e físico desse profissional é imensurável, porque se trata de um grupo-classe, sendo cada aluno um ser que aprende de forma diferenciada do outro e cujos mecanismos de interação com o grupo também se diferenciam. Espera-se que, ao sair da classe, o professor tenha tempo para refletir sobre a experiência.
O magistério é uma área letrada, portanto, espera-se que todo professor tenha uma preocupação, acima da média, não só com a literatura específica de sua disciplina, mas também com a leitura de jornais, revistas, ficção. O magistério é uma área da cultura, portanto, espera-se que todo professor seja um consumidor privilegiado das manifestações culturais produzidas pela humanidade. É também uma área braçal e, assim, espera-se que professores tenham tempo para produzir boas atividades, de acordo com os desafios de aprendizagem, apresentados por cada grupo-classe, de produzir testes e provas, de qualidade, de corrigir tudo isso, de fechar notas, de computá-las, de se reunir com seus pares para discutir tais resultados e agir conjuntamente. O magistério está em permanente diálogo com a História, com a Filosofia, com a Psicologia, com a Sociologia, é uma área do corpo a corpo. Espera-se, assim, que todo professor tenha elevada sintonia com as questões de seu tempo as quais, a despeito de sua vontade, adentram a escola pública, espaço social privilegiado, onde a diversidade é sua constituição. Espera-se, assim, que o professor tenha tempo para, em conjunto com seus pares e seus alunos, elaborar e desenvolver projetos que venham da demanda daquela comunidade escolar; são os alunos, os pais de alunos; portanto, não tem jeito, é preciso tempo para estar com eles, para lhes dirigir o olhar, a fim de que a escola alimente-se do permanente debate e do encontro com o outro, tão saudável, porque faz rever certezas, e onde acontece a oportunidade ímpar de humanização.
Tão longa descrição das atividades do magistério foi um prólogo indispensável para pensarmos sobre o resultado do Enem 2009, exame que mede o desempenho do ensino médio, e para entender por que o exercício do magistério tem sido possível, em especial, na rede privada de ensino e nos colégios de aplicação ligados às universidades e por que está tão comprometido nas redes públicas municipais e estaduais.
O modelo de contrato com professores municipais e estaduais é péssimo
O contrato de trabalho dos primeiros prevê melhores salários, plano de carreira, estímulo permanente para formação, e, tão importante quanto, um contrato de trabalho de dedicação exclusiva, através do qual, há um equilíbrio crucial entre as horas em que o professor passa em sala de aula e fora dela. Melhor explicando, esses contratos são de 40 horas, mas 20 se dão na sala de aula e 20 são remuneradas, para o trabalho, fora da sala de aula. Ao contrário, professores das redes públicas municipais e estaduais foram proletarizados e seus contratos não prevêem bons salários, nem bons planos de carreira, nem estímulo para formação e lhes remunera, basicamente, para o trabalho em sala de aula. Melhor explicando, a cada 20 horas de trabalho, na sala de aula, esses professores são remunerados por 5 horas, fora da sala É bom que se diga que o modelo de contrato mantido com professores municipais e estaduais, no Brasil, é expurgado no mundo inteiro. Não é demais lembrar que trabalho fora da sala de aula é igual a trabalho em prol dos alunos, prioritariamente, na escola onde o professor atua.
Pergunto-me se a perversidade dos números apresentados pelo Enem 2009 é capaz de abalar um país refém da malversação do dinheiro público, que se prepara para gastar bilhões com as próximas eleições, bilhões com futebol e cujos recursos sempre “sobram” para custear uma das máquinas administrativas mais caras e ineficientes do mundo, que compromete elevado percentual do orçamento para sustentar políticos, seus amigos e parentes, mas cujos recursos são sempre escassos na hora de investir na qualidade dos sistemas de educação e de saúde.
Até quando, a tão alardeada ampliação da oferta de vagas no ensino público, embora pretendesse democratizar as oportunidades de ensino, será responsável por um implacável aprofundamento das desigualdades sociais? Não podemos nos esquecer destes resultados fornecidos pelo MEC: 97,8% da rede pública de Ensino Médio e responsável por 85,9% das escolas desse nível de ensino, tiveram nota abaixo de 500, numa escala que vai de 0 a 1000. O IDEB – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, divulgado mês passado, que mediu o desempenho das escolas de ensino fundamental, também não foi diferente. Basta conferir o lamentável.

Cristina Pimentel é servidora estadual, com mestrado em Lingüística, pela UERJ.

211 (139)

Perseguição politica

Post 140 do blig
Data da publicação: 12/08/2010 20:29

O prefeito Mirinho Braga exonerou Inácio taxista porque ele estava apoiando a candidato a deputado estadual do PMDB, Paulo Melo. Filiado ao partido do prefeito – PDT-, Inácio foi punido por ter cometido infidelidade partidária. Se para o prefeito o principio de fidelidade partidária é um principio fundamental da democracia – concepção que também defendo- ele terá que punir também o vereador Joãozinho Carrilho que está apoiando o mesmo candidato. Não só o vereador, mas todos os membros do partido que estejam na mesma situação. Se não o fizer, sua atitude contra o taxista Inácio será considerada como covardia pura e simples. Ter mandato não justifica tratamento diferenciado. Afinal, principio não se negocia.

Comentários:

Willy Caolho disse...
Ele terá que se punir também, por dizer que não importava, tanto Dilma quanto Serra vencerem as eleições, que, para os municípios da Região dos Lagos nada mudaría. Um abraço amigo !!!

210 (140)

Mercado eleitoral aquece economia buziana

Post 138 do blig
Data da publicação: 11/08/2010 18:31

Saí da Marina, passei nos Correios da Rasa e fui até a Policlínica Municipal (em outro post conto o ocorrido). Nessa rodada pude observar como o mercado eleitoral aquece a economia buziana: várias salas alugadas como comitês eleitorais, muitas casas exibindo galhardetes dos candidatos e muitos buzianos remunerados para segurar placas nas calçadas e praças ou distribuir santinhos pelas ruas. Uma fortuna em dinheiro é injetada na economia buziana nesse período. A origem dela, na maioria das vezes, não é nobre. Muitos desempregados e  sub-empregados, gerados em grande quantidade pelo modelo de desenvolvimento econômico excludente posto em prática para dupla Mirinho-Toninho nesses 14 anos de emancipação, conseguem um pouco de alivio nas eleições. Parece até que é de propósito: não gerar emprego e renda para manter o povo dependente dos favores dos politicos da cidade.

No próximo post vou apresentar os valores desses produtos eleitorais para que possamos comparar com as prestações de contas dos candidatos.

208 (138)

INEA volta atrás e nega que mancha de óleo tenha atingido Búzios

Post 135 do blig
Data da publicação: 09/08/2010 14:06

Site do jornal O Globo noticiou que manchas de óleo no mar chegaram às praias da Região dos Lagos. As praias do Forte e do Foguete, em Cabo Frio, e a Prainha, em Arraial do Cabo, teriam sido atingidas. A informação de que o óleo também teria chegado à  nossa praia de José Gonçalves foi desmentida pelo prefeito Mirinho Braga.  O presidente do INEA, Luiz Firmino, disse que a situação “é preocupante”.

As 11:21 o jornal Folha de São Paulo online  folha.com) confirma que a mancha de óleo já chegou à nossa cidade. Segundo o INEA, a  mancha escura alcançou a cidade de Búzios na manhã de hoje. Ela “ já alcança a areia da praia de José Gonçalves, em Búzios. O prefeito da cidade, Mirinho Braga, segue para o local para acompanhar os trabalhos dos técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente”.

Às 15:23, o Inea (Instituto Estadual do Ambiente) voltou atrás na tarde desta segunda-feira e negou que mancha de óleo detectada no mar da região dos Lagos tenha chegado à praia de José Gonçalves, em Búzios (RJ). Anteriormente, o órgão havia afirmado que a mancha escura tinha sido avistada na localidade, informação negada pela prefeitura da cidade.

Especialistas do Inea analisam a área atingida pelo óleo em terra e no mar. Bóias de contenção devem ser usadas em algumas regiões. O instituto  trabalha com a hipótese de o óleo ter vazado de alguma plataforma de petróleo.

Segundo o 1º Distrito Naval da Marinha, uma equipe de inspeção naval da Capitania dos Portos foi às praias do Pontal, em Arraial do Cabo, e das Conchas e do Forte, em Cabo Frio, coletar amostras do óleo para análise. Ainda segundo a Marinha, a análise será feita pelo Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira, em Arraial do Cabo. O laudo deve ficar pronto em até 20 dias.

Cabe a pergunta: estamos preparados para enfrentar situações como essa? Os recursos dos royalties  de petróleo não se destinam exatamente para isso?

Vamos ficar acompanhando.

207 (135)

Turismo Náutico I, II e III

Post 131 do blig
Data de publicação: 03/08/2010 0:25

Turismo náutico I

Na semana que passou tivemos intensa discussão sobre turismo náutico em Búzios. O jornal O Globo, de sexta-feira, trouxe uma reportagem sobre a paralisação judicial da obra de expansão do cais da praia de Armação. Na sua edição de sábado, o Jornal O Perú Molhado sai em defesa da empresa Marina Porto Veleiro de Búzios Empreendimento Ltda. E na segunda-feira, o presidente da Comissão de Defesa do Meio Ambiente da Alerj, André Lazaroni – ex André do PV- veio à Búzios vistoriar os possíveis prejuízos provocados pelos transatlânticos que atracam em nossa praia. Sua visita foi noticiada pelo Jornal do Brasil Online.

No processo judicial 0002413-92.2010.8.19.0078 que Amarildo de Sá Silva move contra o empreendimento, ficamos sabendo que o Porto Veleiro não tem licença do município autorizando a ampliação das construções na área. O que a empresa tem é um Alvará Municipal que a autoriza apenas a desenvolver suas atividades no local e não a ampliá-lo. A existência de licença do INEA não exclui a necessidade de licença da municipalidade.

Portanto, a matéria de O Globo não contém inverdades, como afirma O Perú Molhado. A vistoria técnica feita pela Comissão de Defesa do Meio Ambiente da Alerj confirmou em imagens a existência de corais no fundo do mar naquele local, desmentindo a afirmação de O Perú Molhado de que ali só tem lama. Confirmou também que as âncoras dos navios deixam buracos no fundo do mar e quebram os corais. Ocorrências também confirmadas pelo INEA. 

Na Ação Popular,  o presidente da Colônia dos Pescadores queria a imediata paralisação das atividades do Porto Veleiro devido ao “caráter personalíssimo da concessão e do suposto desvio de finalidade, consistente na destinação diversa dada ao bem , dentre outras questões”. Não conseguiu. Mas conseguiu liminar parando a obra de expansão porque, segundo a decisão do juiz, a tutela do Meio Ambiente deve se sobrepor aos interesses comerciais do empreendedor. 

Segundo o jornal O Globo, o Porto Veleiro existe no local desde 1983. Na ação judicial se questiona se o local- que seria público-  não estaria sendo usado irregularmente. Já são quase trinta anos de uso. Se o imóvel é propriedade do município, o que a prefeitura ganha com a concessão?
  
Segundo o mesmo jornal, o prefeito Mirinho afirmou que a obra vai prejudicar os pescadores de Búzios. Aí concordamos com o jornal O Perú Molhado: “nesses dez anos em que esteve à frente do cargo mais importante da cidade”, o prefeito nada fez pelos pescadores de Búzios. Não só nada fez fez pelos pescadores (cadê o entreposto pesqueiro?), mas também nada fez pelos agricultores familiares (cadê o mercado municipal?), pelos trabalhadores do setor do turismo (cadê o hotel escola?) e do comércio (também poderiam aprender no hotel escola). Basta fazer um levantamento sério do desemprego e do subemprego na cidade. E não adianta vir falar em ProJovem Trabalhador. Isso é política pública pobre para o povo pobre. Não passa disso.

Comentários (1):

Julio Medeiros disse:

Luiz!
Até hoje eu não vi e nem soube de nenhum Estudo de Impacto Ambiental referente as centenas de atracações anuais feitas por estes navios transatlanticos em Armação dos Búzios. Seja da água do lastro despejada, movimento gigantesco das hélices, possivel despejo de esgoto, assim como tambem não soube de nenhum rEstudo de impacto de vizinhança, já que grande parte da cidade fica obrigada a ouvir o som em altíssimo volume vindo das festa promovidas neste navios.
Volto a afirmar que quem está promovendo esta briga, não está nem um pouco preocupado com pescadores e muito menos o meio ambiente.

Post 133 do blig
Data da publicação: 06/08/2010 23:18

Turismo náutico II

O empresário Cadu Bueno resolveu fazer obras de expansão de seu empreendimento – Porto Veleiro-   na Praia da Armação. Pretende ampliá-lo–  mar adentro- em 80 metros. Contra o seu desejo já se manifestaram o prefeito municipal, o secretário municipal de planejamento, o presidente da Colônia de pescadores Z-23 (de Búzios), quase todos os vereadores da cidade e até mesmo o presidente da Comissão de Defesa do Meio Ambiente da ALERJ, André Lazaroni, que por aqui apareceu e deu sua opinião também contrária às obras. Favoráveis ao empreendimento somente se pronunciaram o Jornal O Peru Molhado (OPM), o diretor  da Associação Comercial (ACEB), Paulo Inácio,  e alguns empresários, principalmente aqueles estabelecidos no entorno,  beneficiados pela atividades náuticas ali realizadas.

Para o prefeito de Búzios, Mirinho Braga, a expansão do cais em 80 metros prejudica os pescadores e pode causar um problema ambiental. O secretário de planejamento, Rui Borba, argumentou para o jornal O Globo que a “expansão seria uma intervenção urbanística na cidade e que, por isso, a prefeitura deveria ter sido ouvida”.  Já na última edição do Jornal Primeira Hora (JPH), o secretário afirmou que “a licença que deveria ser dada pela prefeitura para a ampliação – como está proposta- nunca foi expedida”, deixando margem a dúvidas se alguma licença fora expedida. Segundo o OPM, o presidente da Colônia dos Pescadores, Chita, teria feito, na última reforma do Porto Veleiro, um acordo com o empresário Cadu Bueno para que a Colônia participasse dos lucros do empreendimento. Para o vereador Lorram se o empresário tem alguma licença da prefeitura, ela teria sido concedida no “apagar das luzes da gestão municipal passada” (JPH).

Mesmo com tantas vozes contrárias é muito provável que muito em breve a obra esteja pronta. Tem coisas que só acontecem em Búzios (e em toda a nossa querida Região dos Lagos). Já teve empresário que fez reforma em seu imóvel comercial na Rua das Pedras  invadindo a Praia do Canto. Até entulho de obra ele jogou no mar. Apesar de todas as reclamações  tudo ficou por isso mesmo. A especulação imobiliária e os milionários fazem o que querem da cidade. Eles adoram construir onde não podem: costões rochosos, topos de morro, etc. Quase sempre ganham. O jornal Interpress tem razão quando estampou na capa que  Búzios (acrescento: e toda Região dos Lagos) pertence aos privilegiados.

Post 136 do blig
Data da publicação: 09/08/2010 19:32

Turismo náutico III

Eu não disse que têm certas coisas que só acontecem em Búzios. Cadú Bueno conseguiu no TJ do Rio cassar a liminar dada pelo Juiz de Búzios,Rafael Rezende.  O Desembargador Relator, Paulo Maurício, derrubou o embargo à expansão do cais principalmente porque a obra tinha licença ambiental do INEA, deixando claro que a obra não causaria nenhum dano ambiental ao local. Segundo ele caía por terra o argumento do juiz de Búzios que embasou sua decisão no risco iminente de se  causar danos ao meio ambiente.

Aqui em Búzios precisamos de muito cuidado para fazermos afirmações com base naquilo que é dito. Nem sempre o dito corresponde ao real. Mas parece que não há dúvidas que o INEA deu licença ambiental para a obra do Cadú. O próprio presidente do órgão reconhece isso. Aí o novelo começa a enrolar. O órgão pode dar licença condicionada a outras licenças? Primeiro disse que cancelaria a licença dada se o Porto Veleiro não conseguisse autorização da prefeitura (O Globo, 27/07/2010).  Depois que o SPU entrou em cena, afirmou que só manteria a licença se o SPU confirmasse a autorização (JPH, online, 6/8/2010). A licença da prefeitura é necessária para a área? Ora, se a prefeitura não concede autorização para a obra, de que adianta o empresário ter licença ambiental do INEA? O órgão pode dar licença e depois retirá-la? Se a licença ambiental existe, como é que pode a secretária de meio ambiente e pesca, Adriana Saad, afirmar que “continua notificando e multando o empreendimento, por falta de licenciamento” (idem)

Outro argumento do desembargador para cassar a liminar é que a área é de responsabilidade da Marinha. Portanto, a obra estaria  sujeita somente à fiscalização da União. O município não teria nada a ver com isso. Inclusive, a própria Marinha teria sugerido, tempos atrás, a construção de atracadouros adequados às embarcações de grande porte. Justamente o que o empresário pretende com a expansão do “seu” pier. O argumento do desembargador coincide com os argumentos estampados, dias atrás, nesta pérola escrita no jornal O Perú Molhado: “é pouco provável que a Marinha atracasse seus barcos (fragatas da Capitania dos Portos) num porto ilegal” (OPM, 6/8/2010)!

Cadú teria licença da Marinha para realizar a obra. Mas na reportagem de O Globo, a própria Marinha informa que a ampliação do cais está autorizada somente nos aspectos relativos à segurança da navegação. A “dona” da área diz que o seu parecer – e não licença-  sobre segurança não exime a empresa de exigências de outros pareceres pertinentes, tanto a nível muncipal, quanto estadual e federal.

Na verdade, a área em questão – o espelho dágua-  é patrimônio do povo brasileiro. A fiscalização é responsabilidade do Serviço de Patrimônio da União (SPU). A superintendente do órgão, Marina Esteves, afirmou que a obra “não conta com autorização do SPU” e a classificou como uma “obra irregular”. Disse também que o SPU procura atuar em consonância com os municípios. Sem o consentimento do município “não autorizamos obra alguma”. Aqui o novelo enrola um pouco mais. Ora, Cadu diz ter licença da prefeitura dada pelo governo anterior. Ela teria sido conseguida no apagar das luzes do governo anterior, como sugeriu o vereador Lorram? O SPU foi consultado? Cadú teria mesmo uma licença ou um simples despacho “nada a opor”, como afirma o atual chefe do Gabinete de Planejamento,Orçamento e Gestão, Ruy Borba? (JPH, 29/07/20010). 

Agora o imbróglio maior está no caráter da relação contratual entre o SPU e a empresa Porto Veleiro. A superintendente do SPU disse que o cais do Porto Veleiro tem apenas autorização e assim mesmo precária para 486 m², onde está a instalação atual. “O que o cais tem é uma inscrição para ocupação, e nem RIP se trata no caso, ou seja, não se trata de aforamento” (Jornal Primeira Hora,online, 6/08/2010). O que isso quer dizer? O cais está desde 1983 irregularmente numa área sem nada pagar? A “autorização” vai até quando? O que fazia o SPU nesse tempo todo?


209 (131,133,136)

Novo Velho Secretário de Saúde

Post 129 do blig
Data da publicação: 01/08/2010 21:49

Mirinho muda na saúde. Sai a secretária Drª Luzia Andrade e retorna o Drº Guilherme Azevedo. Ao que parece, o prefeito Mirinho Braga se desinteressou por completo pela administração da cidade. Está trazendo de volta até o que, segundo suas próprias palavras, não deu certo em sua administração anterior.  Em entrevista ao Jornal O Perú Molhado, em 03/04/2009, ele disse a respeito do seu secretariado: “O que deu certo a gente trouxe de volta (Isac, Carlinhos, Carolina e o Henrique), o que deu errado a gente trocou”.

Comentários (1):

Julio Medeiros disse:

Luiz!
Pelo que voce tem pesquisado e depois escrito em suas matérias, são notadamente camaleônicas quase todas as declarações do Prefeito.
Mas a ASFAB deve estar bem feliz, tendo um Secretário de saúde concursado.

206 (129)