Logo do blog

Logo do blog

publicidade5

publicidade5

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Órgão Especial do TJ começa a julgar juiz de Búzios alvo de denúncias

RIO - O juiz João Carlos de Sousa Correa, da 1ª Vara de Búzios, na Região dos Lagos, começou a ser julgado na segunda-feira no Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio por uma série de denúncias — como ameaças a turistas e a um agente da Operação Lei Seca — que estavam sendo investigadas pela Corregedoria do TJ. O processo corre em sigilo e, durante os debates de segunda-feira, o corregedor-geral Antônio José Azevedo Pinto expôs as denúncias para os outros 24 desembargadores. Nos próximos dias, testemunhas de defesa e acusação serão ouvidas. Depois, o Órgão Especial decidirá o futuro do juiz. Alguns desembargadores chegaram a discutir se a melhor medida seria afastá-lo da comarca de Búzios.

Discussão com casal por causa de festa barulhenta

Um dos casos investigados é a confusão em que João Carlos teria se envolvido com dois turistas em Búzios, hospedados num hotel perto da Orla Bardot. O casal, um francês e uma alemã, reclamou de uma festa promovida pelo magistrado até de madrugada num dos quartos. Na época, um gerente do estabelecimento confirmou que alguns clientes se queixaram do barulho e que, depois de a direção ter chamado a atenção do juiz, tudo voltou à normalidade. Um dos hóspedes era o empresário e advogado Marcelo Bianchi. Segundo ele, João Carlos teria ofendido e ameaçado o casal.

Outra denúncia que chegou à corregedoria foi a de uma confusão ocorrida numa blitz da Operação Lei Seca, na Lagoa. O magistrado e uma fiscal discutiram, e ele deu ordem de prisão à mulher. Na ocasião, João Carlos dirigia um Land Rover sem placa, com prazo de emplacamento vencido, e estava sem a carteira de habilitação. Ele alegou ter esquecido o documento dentro da bolsa de sua mulher. O carro foi rebocado e o juiz, multado por dirigir sem carteira. A agente disse ter sido ameaçada por João Carlos.

Outra denúncia, mais antiga, é de julho de 2009, quando o juiz teria discutido com um policial rodoviário federal, em Rio Bonito. Ele havia passado por um posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de madrugada em alta velocidade e com um giroflex azul (luz de emergência giratória, usada por carros da polícia) no teto. A legislação de trânsito proíbe o dispositivo. Na versão do agente rodoviário Anderson Caldeira, logo que desceu do carro, o magistrado teria dito, aos berros, que "era juiz de direito, que botaria o policial na rua e que sua carreira no serviço público estava acabada". Acusado pelo juiz de desacato e exposição a perigo, o agente da PRF respondeu a uma sindicância, que terminou arquivada.

Bem antes disso, em 2006, um funcionário da concessionária Ampla disse que também foi ameaçado de prisão pelo juiz, caso não religasse a luz de sua casa, cortada por falta de pagamento. A Ampla, através de sua assessoria de imprensa, confirmou o caso, mas não quis entrar em detalhes sobre o valor que era devido pelo juiz, limitando-se a informar que "era bem alto". A polícia foi chamada e a luz, religada.

CNJ investiga decisões tomadas por juiz em Búzios

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) deve concluir até o fim do mês as investigações sobre o juiz que estão correndo em segredo de Justiça. O titular da Vara de Búzios vem sendo investigado pelo CNJ desde fevereiro de 2010, devido a uma série de decisões polêmicas, tomadas em processos sobre disputas fundiárias no balneário.


Fonte: "O Globo"

Ver: "Corregedoria abre procedimento contra juiz da 1ª Vara de Búzios"

Ver também: http://anjovadio.blogspot.com/2011/02/o-libelo-e-suas-loucuras.html

Ver vídeo: http://videos.r7.com/juiz-da-voz-de-prisao-a-fiscal-em-blitz-da-lei-seca-na-zona-sul-do-rio/idmedia/800032fc03bab26b942c7109c54d77f3-1.html

Leia mais sobre o juiz de Búzios em: http://faizakhalida.blogspot.com/2010/03/o-juiz-de-buzios-joao-carlos-de-souza.html

Hoje tem I.P. Búzios na rádio 2


Iniciativa Popular na Rádio Nova Búzios Online 4

Todos os leitores do blog estão convidados. Rádio Nova Búzios Online, terça-feira às 16:00 horas, no site www.clickbuzios.com .

Estaremos discutindo, nesta terça-feira, dia 29/11, de 16:00 às 17:00 horas, as postagens feitas no blog durante a semana.

domingo, 27 de novembro de 2011

A cidade do medo

Quando passei o abaixo-assinado pedindo o impeachment do prefeito Mirinho Braga fiquei impressionado com o medo demonstrado pela população de Búzios de colocar uma simples assinatura numa folha de papel. Era demais para mim: estava diante do medo de um povo de exercer um direito de cidadania!

Antes de pedir para a pessoa assinar, perguntava o que ela estava achando da administração atual, e se estava a par da nova situação político-eleitoral do prefeito, a partir do julgamento do mérito da ação anulatória impetrada pelo prefeito contra decisão da câmara que havia cassado os seus direitos políticos por cinco anos.  Ação perdida, direitos políticos perdidos. Era óbvio.

Quase todos afirmavam que o governo Mirinho Braga estava péssimo, que não estava fazendo nada, que havia fortes indícios de que muitos recursos públicos estariam sendo desviados e coisa e tal. Mas quando pedia para assinar o abaixo-assinado muitos recusavam, mesmo tendo explicado que o prefeito não poderia permanecer no cargo após a decisão do juiz de Búzios. Como é que uma pessoa inelegível pode continuar governando uma cidade? Não é que as pessoas não concordassem com os argumentos. Não é que não quisessem. Não é que faltassem razões para assinar. O que sobrava era medo. Muito medo de represálias. E isso era verbalizado como se fosse a coisa mais natural do mundo, sem nenhum constrangimento.

Alguns me disseram que não podiam assinar porque poderiam perder o emprego (contratado, comissionado, ou empregado em alguma terceirizada) ou fazer algum parente perder o dele. Mesmo alguns funcionários concursados alegavam que poderiam sofrer retaliações tais como serem transferidos para locais distantes de suas residências ou para setores que nada tivessem a ver com suas carreiras. Setor de arquivo, almoxarifado, por exemplo. É como se tivessem medo de serem colocados de castigo pelo pai/patrão/prefeito cruel. Sabiam que não podiam ser demitidos mas temiam, e como, ser castigados.

Até mesmo lideranças do movimento sindical dos trabalhadores do setor público (ASFAB) que diziam concordar com o teor do abaixo-assinado, disfarçavam, mas não assinavam. Chegavam a pegar folhas para passar entre a categoria mas nunca as devolviam . Dissimulados, disfarçavam o quanto podiam. Chegavam a aparentar que torciam para que se conseguisse o número necessário de assinaturas, mas na verdade estavam preocupados unicamente em não queimar a possibilidade de aquisição de uma comissão qualquer que o prefeito poderia lhes presentear no futuro. Quem sabe?

O fato de não assinar podia representar o ganho futuro de uma comissão de mais de R$ 2.000,00 reais para uma pessoa que só conseguiu passar em um concurso de R$ 700,00. Já imaginou o que é isso?

Teve um morador que toda vez que me encontrava vibrava com o abaixo-assinado. Perguntava sempre quantas assinaturas já tinham, quantas faltavam, etc. Diante de tanta euforia pedi que ele passasse algumas folhas. Meio sem jeito, me disse que tinha assinado mas que não gostaria de passar o abaixo-assinado. Não lhe cobrei o motivo, pois sabia qual era o seu medo: seu pai tinha cargo comissionado na prefeitura. Deve estar até hoje arrependido de ter assinado.

Alguém pode pensar que somente o trabalhador de Búzios tem medo de exercer a sua cidadania porque pode perder o emprego, por pura dependência econômica. Não há nada mais falso. Grande parte do empresariado da cidade também tem medo. Muito medo. Um empresário, a quem me dirigi com o abaixo-assinado, teve a cara de pau de me dizer: não posso assinar porque sou empresário!  Deu vontade de dizer que ele era um empresário de merda, que estava todo ilegal, sem alvará, que sonegava impostos, que não assinava carteira,  que roubava horas extras e gorjetas de seus funcionários. Não disse, mas entendi os motivos da existência de tanta ilegalidade em Búzios.

Não é a toa que a  ilegalidade é consentida pela administração municipal. Quanto mais ilegal estiver o empresário melhor para o prefeito. O rabo preso fará com que ele não participe de protesto nenhum. Diante de qualquer rebeldia como assinar um abaixo-assinado pedindo o seu impeachment é só o prefeito mandar a fiscalização sanitária fazer uma visitinha em sua cozinha. Ou mandar a fiscalização do ISS dar uma olhadinha em seus livros-caixas.  Ou a fiscalização urbanística ver se ele construiu algum puxadinho sem licença. Ou a fiscalização da postura ver se tem alguma mesinha a mais do lado de fora. Isso quando fiscalizações estaduais (ICMS) e federais (trabalhista) não dão uma forcinha extra. 
    
Da mesma forma que domina grande parcela das famílias buzianas com os empregos públicos- como se esses empregos fossem seus-, com as ilegalidades empresariais consentidas- que não são poucas- o nosso prefeito domina o patronato também. É o governo do Terror!

É. Está tudo dominado pelo medo!

Búzios precisa urgentemente de uma Primavera como a Primavera Árabe. Os moradores de Búzios precisam sair às ruas, desatar seus grilhões, vencer seus receios e mostrar que somos cidadãos de verdade, conscientes de seus direitos e que não aceitam, de forma alguma, viver sob o domínio do medo.

Observação 1: depois de conseguir algumas centenas de assinaturas resolvi desistir do abaixo-assinado. As dificuldades relatadas acima nos mostraram que levaríamos muito mais tempo do que pensávamos inicialmente. Agradeço a todos os cidadãos buzianos que o assinaram, cidadãos no verdadeiro sentido da palavra, com os quais tenho orgulho de me relacionar. Outros projetos de lei de iniciativa popular virão porque esta é a razão de ser deste blog. 

Observação 2: realmente, por não ter conseguido passar o abaixo-assinado, reconheço que o prefeito saiu vitorioso. Mas parafraseando o grande pedetista Darcy Ribeiro quando reconheceu que perdeu ao tentar fazer uma universidade de primeiro mundo, que perdeu ao tentar implantar o ensino integral nos CIEPs, que perdeu ao tentar impedir a matança dos  índios brasileiros, mas que não gostaria de forma alguma estar no lugar daqueles que o venceram, digo o mesmo: Prefeito Mirinho Braga, não gostaria nem um pouco de estar no seu lugar! 

Comentários:



Reporter Cidadão disse...
 
Boa esta nobre Luiz! Porém sem novidade alguma sobre o tema. É sabido a muito tempo, que pessoas nesta cidade, tem receio por vezes de se quer dar uma opinião, contrária a administração atual, ou seja lá a que estiver no comando. Muitos tem um certo "rabo preso", mesmo que indireto. Muitos cidadãos tem receio de se expressar publicamente por receio de um parente que esteja contratado pela PMAB ou o próprio, venha a perder a "boquinha" do emprego. Por isto estes governantes não tem a menor pressa em realizar concurso publico, uma vez que perderam um pouco mais de suas forças de domínio neste sentido. Tambem infelizmente tem servidor concursado que tem receio de perder posto (local) de trabalho onde ele possa estar bem acomodado, sem comentar detalhes daqueles que recebem "gordas" horas extras sem que trabalhem para isto. Em diversos setores da Prefeitura tem servidores nestas situações, gabinetes, secretarias, coordenadorias, etc... Até em gabinete de vereadores existe isto, pessoas que recebem horas extras bem GORDAS, sem fazer. Existem duas modalidades, a que os administradores da grana chamam de " PLUS " a mais, pago a pessoas que dizem ser de confiança, e outras que são pagas para simples lavagem, onde o servidor parece repassar parte do que recebeu sem fazer, mesmo que o referido servidor se quer cumpra os dias normais de trabalho. Peça vistas dos contra-cheques e verás! Os vereadores volta e meia solicitam isto. Ouvi burburinhos que existem no MP - tutela de Cabo Frio, diversas ocorrencias de denuncia sobre isto, mas sem providencias ainda.
Marcia Bispo disse...
 
Acho interessante a colocação do medo. Creio que temos nesta cidade duas situações explicitas: MEDO e COVARDIA. Sim, o medo colocado por nosso querido Luiz, tão óbvio e claro como água, tange nos interesses daqueles que não ´so trabalham e dependem do leitinho da administração local, assim como os seus, digo, a familia interia quando não. Porém, existe tambem a COVARDIA. Esta, pior ainda. Sim, pior porque, além das questões colocadas acima, são pessoas que não abrem novos caminhos na vida, sequer investe suas forças para novas empreitadas pessoas. E assim se renova a cultura do povo local de se deixar levar por promessas de pseudos " politicos " achando que o seu está garantido, não sabendo este imbecil que está alimento a corrupção e corja que depende da ignorancia, medo e covardia dessas mesmas pessoas. É triste, mas é verdade. beijos Luiz♥
Dura verdade! Terrível necessidade!
Pobre homem pobre que pensa que tem garantia de alguma coisa!
Mas garanto, não sou pastora, não sou empresária, não sou ninguém como dizem por aí...e eu concordo.
 Apenas garanto a quem desenvolveu esse medo que tudo tem limite.
Vento forte derruba castelo de areia ou de cartas... E aqui tem muito vento.
Poder baseado no medo e na corrupção pode permanecer por um tempo, mas não para sempre...
É uma questão de paciência, precisamos observar e utilizar esse aprendizado no futuro.
Se informarmos o que corre nos bastidores da política, de forma didática, com exemplos claros, as pessoas acordariam e intuitivamente reagiriam.
Por mais simples que sejam, compreenderiam.
É preciso que seja dito: quem colocou o Rei?
Como ele obteve esse poder?
Por que ninguém fala qual a origem do mal?
Como o prefeito atual conseguiu ser candidato?
Será que existe uma eminência parda?
Um cidadão comum, não político, não tem como chegar ao poder sem uma “ajudinha”.
É hora de dizer quem é, tem que vir à tona para que o povo saiba e veja que nada acontece por acaso, sempre há alguém ou alguma coisa que determina o fato.
Se o Rei não existisse, o Conselho de Meio Ambiente estaria funcionando bem, todos estariam defendendo o plano diretor. A cidade estaria protegida da barbárie corporativista.
Se o Rei não existisse, as diversas correntes, mesmo sendo duvidosas, se auto-regulariam, pois um lado controlaria o outro.
A população não está feliz, mas mostra um fatalismo estranho.
Tudo é porque é.
Tenho um exemplo da inércia dos moradores e da aceitação automática.
Na esquina de minha casa, iniciaram a construção de uma praça que poderia custar uns vinte a trinta mil, pois é uma quadra de areia com uma calçada em volta com quatro postes, três bancos e três mesinhas, mas na placa mostra o custo de cento e nove mil.
Comentei com o pessoal e soube que nem sequer houve unanimidade sobre onde deveria ser construída a praça.  Muitos falaram que havia outro local mais adequado, mas que foi uma ordem do Rei em troca de algumas declarações duvidosas...
Os que foram beneficiados, os do entorno, declararam que não interessa o preço se essa é a única forma de ter a praça.
O mentor do projeto, residente na tal rua, deu permissão ao Rei para publicar que eu não tinha poder para sair do conselho, incluindo carta branca sobre assuntos pertinentes (vide JPH – observatório)... Mas em troca teria a rua asfaltada e a construção imediata dessa praça como demonstração de sua força política.
Nem pediu que eu não divulgasse a afirmação.
Ainda declarou que diria tudo que precisasse para que a praça saísse do papel, já!
Tudo pela praça. Tudo pelas criancinhas. Alguém acredita em papai Noel?!?
Pelo menos foi honesto ao revelar o motivo de seu testemunho em meu desfavor.
Agora tenho um dilema filosófico: será que quando a maioria pensa da mesma forma e a minoria não consegue demonstrar que isso é um erro, essa maioria, em hipótese, estaria certa neste momento e precisaria percorrer um caminho mais longo para acabar chegando a um mesmo ponto no futuro? Isso também é desperdício... deve ser improbidade moral...

Comentários no Facebook:






    • Aide Ramos parabéns Luiz Gomes,parabéns Maria Do Horto Moriconi e parabéns Búzios por ter pessoas como vocês.
      domingo às 19:26 · 

    • Marcia Bispo Do Nascimento Luiz, acabei de comentar lá. Falei da limitrofe diferença do MEDO para a COVARDIA
      segunda às 18:55 ·

    • Eduardo Torrely Luiz Gomes, parabéns pelo artigo “A CIDADE DO MEDO”. Você conseguiu digitar com poucos caracteres, como é o comportamento do morador de Búzios, quando o assunto é a “Política da cidade”.
      Está de parabéns!






  • Monica Werkhauser voce tem toda razão, infelizmente numa cidade, onde o emprego é díficil e o governo não faz nada, sempre será dificil excercer a cidadania
    segunda às 18:38 ·


  • Camila Viana Realmente as pessoas tem muito medo dos governantes nessa cidade. Incrível que até quem não deve nada tem medo de botar a cara. Isso tem que acabar!
    segunda às 22:00 ·



  • A lenda do vice

    Agora que se aproxima o fim do campeonato brasileiro, alguns amigos famenguistas- com despeito por não estarem disputando o título- espalham a lenda que diz que o Vasco é o time que tem mais vices-campeonatos. A lenda teria origem no fato de o time da cruz de malta ter perdido, segundo eles, mais decisões de títulos do campeonato carioca que Flamengo, Fluminense e Botafogo. Para por fim ao mito criado por alguma mente doentia rubronegra fiz uma visitinha pelo site da Federação Carioca de Futebol e eis o que encontrei: 




    Flamengo -    32 títulos e  30 vices
    Fluminense -  30   "       e  21  "
    Vasco -          22   "        e  23  "
    Botafogo -     19   "        e  17  "

    Observação: é bom que fique registrado que o Vasco só começou a disputar o campeonato carioca de futebol em 1923. Era um Clube só de regatas até esse ano. Os outros três grandes disputam o campeonato desde 1906 (Flu e Bota) e 1912 (Flamengo).

    Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Carioca_de_Futebol

    sábado, 26 de novembro de 2011

    Resultado da enquete V (Saúde em Búzios)

    Publico abaixo o resultado da enquete sobre a Saúde em Búzios feita aqui no Blog antes dele ter sido atacado por virús no final de setembro. Faltavam seis dias para a enquete acabar. Votaram 72 leitores.

    59,72% (43 votantes) reprovaram a Saúde em Búzios:

    2% (2) - regular para ruim.
    6% (5) - ruim.
    50% (36) - péssima.

    6% (5) - regular.

    Apenas 29,16% (21 leitores) aprovaram.

    2% (2) - regular para boa.
    13% (10) - boa.
    12% (9) - ótima. 

    3 (4%) leitores não opinaram por terem plano de saúde.

    Búzios sustentável

    sexta-feira, 25 de novembro de 2011

    Na rota do esgoto e do óleo


    “O óleo derramado pela Chevron no campo de Frade, na Bacia de Campos, pode chegar às praias do Rio, sobretudo Búzios e Angra, e também do Espírito Santo e São Paulo (Ubatuba) dentro de duas semanas. O alerta foi dado por técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, (Ibama) e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) em reunião com o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc”.

    É preciso saber se o secretário-executivo desse aborto parido pelo governo do Estado do Rio de Janeiro, o Consórcio Intermunicipal Lagos São João (CILSJ), vai ter coragem de mandar um e-mail para todos os veículos de comunicação, nacionais e internacionais, pedindo ao secretário Carlos Minc para que não “vomite” asneiras. Aqui está o comentário que enviou sobre o artigo “Na rota do esgoto” datado 09/05/2011, publicado na revista CIDADE ONLINE: “Resposta ao Alienado Ernesto Lindgren Ter, 17 de Maio de 2011 21:38 Mario Flavio Moreira Prezado Lindgren, Solicito por gentileza que não "vomite" asneiras numa conceituada revista como essa. Se você tem alguma dúvida em relação ao sistema de captação de esgoto em nossa região, nos procure no Consórcio, estarei a sua disposição para dirimir suas dúvidas. Ou procure alguem que saiba”.

    E agora? Não só a praia do Peró está na rota do esgoto como também está na rota das pelotas do óleo que vazou na Bacia de Campos.

    Que se imagine o que aconteceria se tivesse sido possível trocar a água da lagoa de Araruama fazendo dragagens no canal Itajuru. Tentaram, não por teimosia, mas por 100% de incompetência.

    O secretário deveria ter sido genérico: todas as praias na costa sudeste estão ameaçadas, uma vez que todas recebem parte do esgoto in natura que é despejado pelo emissário submarino em Rio das Ostras. Essa gente do CILSJ e do INEA sempre tratou o oceano Atlântico com se fosse um penico e, não se sabe como chegaram ao ponto de imaginar que água salgada tem o poder de tratar esgoto. Ou que o esgoto não será transportado pelas correntes marítimas.

    A Chevron foi multada. E o CILSJ? E o INEA? Não serão punidos pelos crimes ambientais que vem cometendo há mais de dez anos, “vomitando” uma montanha de asneiras em palestras, entrevistas, declarações publicadas na Internet?

    Teremos dois novos produtos para fotografar nas praias da Região: “óleo esgotado” e “esgoto oleado”.

    Ernesto Lindgren
    23/11/2011

    Imprensa buziana 3

    O programa da radialista Iva Maria na rádio Estação 104 FM, todos os dias da semana, de 9:00 às 11:00 horas, é um exemplo de mau jornalismo. Marrom mesmo. Defende tanto o desgoverno municipal que parece até uma rádio pública. Só entrevista o prefeito e gente do governo. Pessoas da oposição nem pensar. Ouvir o outro lado pra quê? No programa de hoje sentou a pua, com veemência, nos vereadores de oposição. Afirmou, sem ouvir qualquer um deles, que a oposição está "emperrando a máquina administrativa" ao não liberar os Créditos Adicionais Suplementares com a celeridade que o governo quer, repetindo a mesma ladainha do prefeito. Ontem dedicou um programa inteiro ao vereador da situação Felipe Lopes com o mesmo objetivo. Hoje entrevistou a primeira-dama Cristina Braga que acusou  vereadores (só de oposição?) de fazerem política suja na sua área, até com urnas funerárias.

    O quadro "pode falar" é uma vergonha! Para ouvir, ao vivo, as dificuldades da população da Região dos Lagos envia uma repórter para cada município. Só não tem repórter em Búzios! Imagina o que não seria ouvir um popular espinafrando o desgoverno municipal. Passa também a idéia de que Búzios seria uma península de prosperidade diante de tantas mazelas expostas dos vizinhos. Quem quiser confirmar é só ligar para o telefone da rádio: 2623-3592.    

    Dizem que a rádio é educativa. Entrei no site do Ministério das Comunicações mas não consegui confirmar a informação. Aguardo resposta ao email que enviei para a ouvidoria do Ministério. Mas se a rádio for realmente educativa, ela deve ser destinada:



    "... à transmissão de programas educativo-culturais, que, além de atuar em conjunto com os sistemas de ensino de qualquer nível ou modalidade, vise a educação básica e superior, a educação permanente e formação para o trabalho, além de abranger as atividades de divulgação educacional, cultural, pedagógica e de orientação profissional". (http://www.mc.gov.br/radiodifusao/radio-e-tv-educativa)

    Todos em Búzios dizem que a rádio é de propriedade do Senhor Mário Fernandez, dono do Chez Michou, e amigo íntimo do prefeito. O senhor Mário detém uma série de contratos com a prefeitura, que vão desde estacionamento até montagem de palco. Pelo menos, um conflito ético deveria existir aí.

    A rádio também teria sede em Iguaba Grande. Falam que, por somente ter autorização para funcionar no município vizinho, não poderia transmitir de Búzios.  

    Vamos aguardar as informações pedidas ao Ministério das Comunicações.

    Comentários:


    Edson Ramos Radialista disse...
     
    Companheiro Luiz, essa questão da Rádio Estação 104 ser ou não educativa merece muita atenção. Parabéns por levantar esse debate, pois se a dita Rádio for educativa, ela estaria feriando a legislação do Ministério das Comunicação, que fala categoricamente sobre como deve ser o serviço de Rádio Educativa: Na forma da lei, o serviço de radiodifusão educativa “não tem caráter comercial, sendo vedada a transmissão de qualquer propaganda, direta ou indiretamente, bem como o patrocínio dos programas transmitidos, mesmo que nenhuma propaganda seja feita através dos mesmos.” (Parágrafo único do art. 13 do Decreto-lei nº 236, de 1967). Aguardo ansiosamente as informações que você pediu ao Ministério das Comunicações. Abs: Edson.
    Maria Do Horto Moriconi Espero o próximo capítulo com a hora da verdade!! Tudo por aqui é muito hilário...
    há 55 minutos ·
     

    quinta-feira, 24 de novembro de 2011

    A produção agropecuária de Búzios

    Pecuária

    De acordo com o Censo de 2010 do IBGE Búzios tinha:

    1.430 cabeças - Bovinos
    370                 - Equinos
    28                   - Asininos
    25                   - Muares
    684                 - Suínos
    190                 - Caprinos
    540                 - Ovinos
    2.900              - Galos, frangos, frangas e pintos
    2.400              - Galinhas
    4.200              -Codornas

    185 vacas ordenhadas, produzindo 260 mil litros de leite.
    8.000 dúzias de ovos de galinha.
    73.000 dúzias de ovos de codorna.

    Lavoura

    176 toneladas de cachos de banana  colhidas em 15 hectares. Valor: R$ 88.000,00.
    100 mil cocos da baía colhidos em 5 hectares. Valor: R$ 100.000,00.
    64 toneladas de limão colhidas em 4 hectares. Valor: R$ 58.000,00.
    460 toneladas de mandioca colhidas em 46 hectares. Valor: R$ 332.000,00

    Meu comentário:

    Estes dados são do último censo (2010). Apesar de nossa agropecuária contribuir com menos de 2% (2,449  milhões em um PIB de 1,471 bilhões de reais) ela tem uma importância fundamental na constituição de um cinturão verde na periferia do município. Proposta presente em nosso Plano Diretor. O estímulo à produção da agricultura familiar valorizaria a terra impedindo a favelização  do Além-Pórtico, processo em curso a longo tempo. Se nada for feito, muito em breve a favela do Jardim Esperança vai colar com a Rasa. O descaso dos nossos desgovernos municipais será responsável por isso.
     
    Segundo levantamento feito pelo IBGE em 2006,  tínhamos 10 estabelecimentos agropecuários englobando uma área de 1.036 hectares. Destes 14 ha de lavouras permanentes, 448 ha de pastagens naturais, 450 ha de pastagens plantadas em boas condições, 87 ha de matas e/ou florestas naturais destinadas à preservação permanente e 24 ha de construções, benfeitorias ou caminhos. Somente dois estabelecimentos agropecuários tinham tratores, um com menos de 100 cv.

    Em 31/12/2006, 45 buzianos (34 homens e 11 mulheres) se dedicavam à produção rural. Apesar do nosso desgoverno atual,  a cidade teima em se desenvolver. Hoje, provavelmente, muito mais buzianos se dedicam à agricultura familiar. Vão superando dificuldades e barreiras  para teimosamente produzir. Um governo realmente comprometido com a melhoria das condições de vida do povo trabalhador saberia que eles precisam de muito pouco: água, alguns tratores, financiamento, regularização fundiária e um mercadinho do produtor rural. Muito pouco para um município rico!  


    748

    terça-feira, 22 de novembro de 2011

    Hoje tem I.P. na rádio 1



    Iniciativa Popular na Rádio Nova Búzios Online 3

    Todos os leitores do blog estão convidados. Rádio Nova Búzios Online, terça-feira às 16:00 horas, no site www.clickbuzios.com .

    Estaremos discutindo, nesta terça-feira, dia 22/11, de 16:00 às 17:00 horas, via Rádio, a AGRICULTURA FAMILIAR de Búzios, com a presença do produtor rural Davi, morador da Vila Verde.

    747

    Comentários:


    Flor disse...
    Oi, Luiz, eu gostaria de saber se os agricultores de Búzios têm a prática da compostagem. Várias vezes tentei fazer, mas encontrei inúmeros problemas. Postei no site da câmara um roteiro fácil ensinando como resolver problemas de cheiro e não atrair ratos. Penso que temos que falar muito sobre esse assunto para que se torne uma prática habitual. Os moradores ainda tem o costume de jogar restos de comida junto ao lixo seco. Os cães espalham. E vc já viu como fica a rua. Todo dia tenho que juntar. A coleta é diária, mas o que se espalha, fica.

    segunda-feira, 21 de novembro de 2011

    Política suja na Saúde de Búzios

    "... Outro problema amplamente discutido ao longo dos encontros mensais do Conselho Municipal de Saúde é o mau exemplo de 'fura-fila' dado logo pelos representantes do povo na Câmara Municipal. Alguns vereadores da base governamental não passam despercebidos quando vão à Policlínica, à Secretaria e ao Hospital conseguir exames, internações, remédios, e consultas para seus amigos, familiares e eleitorado, passando asssim a frente dos pacientes que aguardam às vezes há meses para serem agendados. A rara exceção fica por conta do mais velho Messias Carvalho, que é bem mais discreto com seus pedidos. Os demais, quando não 'marcam ponto', enviam suas listas de nomes pelos seus assessores..." (Bruno Almeida, Jornal Primeira Hora, 19/11/2011) 

    Engraçado, o jornal chapa branca traz esta semana uma página inteira falando do horror em que se transformou a Saúde de Búzios. Colocando à parte o excelente trabalho do repórter Bruno, parece que volta a se repetir aquela velha história de abandono do navio que está afundando...eles são os primeiros a pular. É sempre assim quando se juntam unicamente por interesses particulares. E o governo Mirinho é um saco de gatos de todas as cores e interesses. Na mesma linha o mirista roxo Pitalô protesta no Facebook, gerando 28 apoios e 21 comentários. Parece que ele é pré-candidato a vereador. Usa a velha tática de tentar preservar o prefeito, colocando a culpa no secretário e nos vereadores. Mirinho não teria nada a ver com isso.

    Essa prática clientelista na Saúde é muito manjada em Búzios. Rende muitos votos para os vereadores ... e, principalmente, para o prefeito. É por isso que o "acesso ao esquema" é vedado aos vereadores de oposição. Tem até diretor da ASFAB (o que um emprego para familiares não faz) que, para defender o prefeito, põe a culpa no "sistema":

    "Há muito discutimos sobre essas vantagens que alguns políticos têm e sempre chegamos a conclusão de que o problema está no “sistema”, por isso eu deixo duas questões a vc, grande pretendente Pitalo: 1) Você acha q o eleitor também tem culpa por assediar vereadores? 2) Como vereador de bancada governista, você se utilizaria dessas vantagens?" (Nicoleti Lopes, Facebook).

    Agora não tem mais jeito, os vereadores da base têm que vir a público explicar direitinho o que fazem nos subterrâneos da política buziana. Caso contrário, vão ficar muito mal com a opinião pública. Até remédios? Terão que explicar em nome de quem pegam remédios? Têm estoques em casa?  Reparem que o jornal oficial do governo tentou preservar o vereador Messias, mas a emenda saiu pior do que o soneto: ele furaria a fila na moita, na encolha, discretamente.

    Com a palavra os vereadores citados!

    746

    Comentários:


    rafael moraes disse...
    Penso que o Sr. Nicoleti Lopes fala mais por si e sua esposa, que agora faz parte da executiva do PDT, do que própriamente pela entidade ASFAB. Como sempre os interesses particularesa falam mais alto, já que este senhor pouco se manifestou a respeito dos problemas que a ASFAB enfrenta.
    Reporter Cidadão disse...
     
    Este Srº Nicoleti Lopes, bem como seus primos da diretoria da ASFAB, são todos muito coninventes com a atual Administração MIRinho! Veja que, a esposa do Srº Nicoleti tem uma portaria polpuda ha mais de um ano, recebendo pouco mais de 2500 reais/mês como advogada da Promoção Social, a esposa do primo dele Eliel Simas, tem portaria de pouco mais de 1500 reais/mes como dirigente da escola de musica, o outro primo dele Jorginho da Saude, faz parte do conselho fiscal da asfab e tem uma portaria razoavel tambem, alem de outros membros da ASFAB que residem na cidade. Pergunto! Vc caro leitor, acha que a ASFAB vai forçar alguma barra contra a administração atual em beneficio coletivo aos servidores? A atual administração ja deu motivos suficientes para ingressarem na justiça, e eles evitam o maximo isto. Só fizeram uma mimica na midia que foram ao MP, pra tentar limpar a imagem deles, que estar bem desgastada, vejam as noticias na imprensa local. A ASFAB esteve até na mira do MPT, por questões de um processo duvidoso de transformação em sindicato, e deram muita sorte que a promotora parece ter sido boazinha, para com eles, talvez por entender que os servidores não poderiam ficar a deriva, sem representatividade. Como confiar numa entidade que aparentemente ficou vendida por 3 anos. Um recado aos servidores associados! Muito cuidado com as eleições da nova diretoria, tem uma chapa que ja não se pode confiar, com um Guarda Municipal que tem portaria, alem do irmão ser motorista do prefeito, e outros parentes estarem empregados na PMAB, e um outro componente, parece que será um vigia que tem até casa alugada a prefeitura municipal.

    domingo, 20 de novembro de 2011

    Fora ficha suja 2


    Bonita manifestação contra os fichas-sujas na política. Organizada pelo pré-candidato João Carrilho, apesar do tempo ruim, conseguiu reunir um número considerável de participantes. A chuva fez com que a programada passeata se transformasse em carreata. Como ocorreu com a passeata do pré-candidato Evandro, no dia 15, foi visível o apoio dos populares ao movimento. Precisamos de mais manifestações como estas. Da mesma forma que se aprende a nadar nadando, o povo de Búzios vai aprender indo para as ruas que não deve de forma alguma eleger políticos fichas-sujas.

    Que outros pré-candidatos gostariam que a ficha-limpa valesse nas próximas eleições? Que venham para as ruas manifestar suas posições em relação a Lei! Porque quem não  defender a Lei nas ruas, ficha-suja é! 

    745 

    sábado, 19 de novembro de 2011

    Iniciativa Popular na Rádio Nova Búzios Online 3


    Todos os leitores do blog estão convidados. Rádio Nova Búzios Online, terça-feira às 16:00 horas, no site www.clickbuzios.com .

    Estaremos discutindo, nesta terça-feira, dia 22/11, de 16:00 às 17:00 horas, via Rádio, a AGRICULTURA FAMILIAR de Búzios, com a presença do produtor rural Davi, morador da Vila Verde.

    744

    sexta-feira, 18 de novembro de 2011

    Prefeito desrespeita legislativo

    No artigo “Política emperra máquina turística em Búzios”,  assinado por Niete Martins (revista Cidade de 12/11/2011), o prefeito de Búzios, Mirinho Braga, chama o presidente da Câmara de vereadores de Búzios,  João Carrilho,  de “irresponsável, mentiroso e inconseqüente”.  Desta vez, ele não se escudou em nenhum secretário pitbull nazista para espinafrar vereadores e perseguir adversários, muito pelo contrário, botou a cara de ditadorzinho de meia tijela na reta e mostrou, de acordo com sua visão particular de democracia, que não tem  o mínimo respeito pelo parlamento municipal e, muito menos, pela minoria representada pela atual mesa diretora. Revelou-se um verdadeiro tiranozinho de cidade do interior que só sabe conviver com um legislativo dócil, subserviente- a turminha do amém das primeiras legislaturas.
    A convivência com a vaidade do secretário direitista sabe-tudo-faz-nada-gelatinoso deve ter-lhe subido à cabeça para ter a pretensão de ensinar ao presidente do legislativo que orçamento é orçamento e dinheiro é dinheiro.
     "Ele confunde orçamento com dinheiro. Não sabe distinguir uma coisa da outra. Entendo, apesar da arrogância e prepotência, que ele não passa de um menino mimado, e de fácil manipulação".
    Como todo tiranozinho de cidade de interior, vive completamente fora da realidade, rodeado de puxa-sacos. É por isso que atira pedras nas janelas dos outros esquecendo seu telhado de vidro. Diz ele sobre aluguéis:
    “ Ele deveria parar e explicar o que fez com quase R$ 5 milhões do orçamento da Câmara. Como gastou? O que fez com tanto dinheiro? Qual o saldo disponível? Tenho certeza que esse dinheiro daria para fazer alguns prédios para a Câmara, que continua alugando um imóvel para funcionar”.
    Realmente, o tiranozinho tem razão: há muito tempo que a câmara de vereadores já deveria ter uma sede própria. Mas o prefeitinho, melhor dizendo, o tiranozinho esquece que já teve vários presidentes de câmara nas mãos (via cargos públicos e outras benesses) que nada fizeram em relação a isso. E convenhamos, o prefeitinho ter a cara de pau de vir a público falar de aluguéis desnecessários é demais! Não só desnecessários, mas bem acima dos valores de mercado. O seu vice-prefeito poderia vir a público falar o que acha do valor que a câmara paga de aluguel? Que tal? O seu líder na câmara poderia também falar sobre o valor dos aluguéis da Escola Juvenal e do CEPEDE. Que tal?
    A visão de democracia do tiranozinho:
     Ele não entendeu que a Câmara é um Colegiado, e que a orientação e o ritmo a ela quem dá é a maioria. Ele tem uma presidência sem maioria, o que expõe ainda mais a sua imaturidade e os seus medos diante de outros vereadores mais antigos".
    Prefeitinho, toda democracia de verdade respeita as minorias. Quem conhece um pouco de política sabe que um prefeito só perde a maioria na câmara quando ele é muito ruim, quando faz um governo desastroso ou quando, por achar que sabe tudo, não ouve sua base. No seu caso, foram as três coisas juntas. A sua coligação só elegeu 4 vereadores, mas logo o senhor cooptou 3. O senhor sabe como conseguiu isso, não sabe? Eles não foram para a sua base parlamentar pelos seu lindos olhos ou ideologia, não é? Ou seja, no ínicio de seu mandato o senhor tinha uma maioria confortável de 7 vereadores. Como é que a perdeu, prefeitinho?
    Mas o melhor momento da matéria da Niete é quando relata o nervosismo do tiranozinho saindo em defesa de seu amigo pessoa-de-bem Mário do Michou:     
    "Quando acusa, o vereador Joaozinho é irresponsável, mentiroso e inconseqüente. Fizemos a contratação dos artistas de forma direta, ou seja, a Prefeitura fez os contratos, sem intermediários e a estrutura também foi devidamente licitada. Posso afirmar que a pessoa citada pelo vereador não tem ligação nenhuma com isso. Ele tenta trazer para o ambiente sujo dele, pessoas de bem".
    A reação agressiva do tiranozinho se deve ao fato do presidente da câmara de vereadores ter acusado a prefeitura de desvio de recursos ao contratar por  620 mil reais a  empresa ECOPARK  do seu amigo Mário do Michou – frise-se, uma empresa de estacionamento-  para fazer toda estrutura dos shows.
    A agressividade também pode ser explicada pela avaliação corretíssima, feita pelo presidente da câmara,  da atual situação econômico-financeira da prefeitura:  o  problema da cidade não é dinheiro e sim “os compromissos com os empreiteiros”;  “o orçamento de Búzios é 170 milhões. O que falta é uma administração correta, acabar com o empreguismo”. Loteamento da prefeitura dá nisso: desgoverno. Ou seja, quando se loteia a prefeitura, a cidade fica ingovernável. Igualzinho como fez o prefeito anterior. Búzios não merece isso.   
    Fonte: "Revista Cidade"

    743

    Comentários:

     


    Flor disse...
     
    MA-RA-VI-LHA!!!!! O cara perdeu a noção!! Provavelmente é o contágio do gelatinoso, concordo com tudo o que vc fala. Impossível não se indignar com tanta cara de pau. Desejo do fundo do coração que muita gente leia este texto. Tá na hora de indignar-se de fato!
    rafael moraes disse... 
     
    PROCESSO TCE N.º 215.918-7/2010 PRESTAÇÃO DE CONTAS 2009 Uma das recomendações: "III – COMUNICAÇÃO, com fulcro no § 1º do artigo 6º da Deliberação TCE-RJ nº 204/96, ao Sr. Delmires de Oliveira Braga, atual Prefeito Municipal de ARMAÇÃO DOS BÚZIOS, na forma do artigo 26 e incisos do Regimento Interno deste Tribunal, aprovado pela Deliberação TCE-RJ nº 167/92, para que PROCESSO N.º 215.918-7/2010 RUBRICA FLS. 1186 seja ALERTADO quanto ao déficit financeiro de R$ 1.539.026,48 apresentado nestas contas, visando o implemento de medidas a fim de restabelecer o equilíbrio financeiro até o último ano de seu mandato, pois este Tribunal poderá pronunciar-se pela Emissão de Parecer Prévio Contrário à aprovação de suas Contas no caso do não cumprimento do §1º do art.1º da Lei Complementar n.º 101/00" SEM COMENTÁRIOS...

    Reporter Cidadão disse...
     
    Será que neste suposto desfalque de pouco mais de 1,5 milhões de reais, não estaria incluidas as horas extras pagas a servidores que não fazem, e a alguns fantasmas tambem ? Tem horas extras correndo pelo ladrão, e que podem ser conferidas através de contra-cheques que o próprio legislativo por vezes solicitar cópias ao executivo. Basta depois cruzar os dados, com o banco de dados da lotação dos respectivos servidores. Tem até servidores que trabalham somente em expediente, e elaboram uma escala extra, que fica na gaveta, para efeitos de tentativa de explicações, em caso de serem surpreendidos pelo MPE, que seria Ministério Público mesmo, ou "Mistério Oculto"? Poderíamos sugerir uma CPI séria sobre averiguações desta sangria aos cofres públicos. Mas, não pode acabar como a ultima do transporte, que nem averiguaram a suspeita viagem bancada pela Stylos, ao Coordenador de transito e transporte da atual administração.