Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Os fabricantes de miséria - os sem carteira de trabalho assinada



Pessoas de 10 anos ou mais de idade , ocupadas na semana de referência:

1º) Iguaba Grande 
Dos 6.313 empregados no município, 2.397 (37,9%) trabalhavam sem carteira de trabalho assinada.
2.129 pessoas trabalhavam por conta própria.
Empregadores: 106

2º) Armação dos Búzios
Dos 9.733 empregados no município, 3.628 (37,2%) trabalhavam sem carteira de trabalho assinada.
3.096 pessoas trabalhavam por conta própria.
Empregadores: 470

3º) Araruama 
Dos 32.108 empregados no município, 11.334 (35,2%) trabalhavam sem carteira de trabalho assinada.
11.567 pessoas trabalhavam por conta própria.
Empregadores: 1.131

4º) Cabo Frio 
Dos 59.801 empregados no município, 19.067 (31,8%) trabalhavam sem carteira de trabalho assinada.
21.195 pessoas trabalhavam por conta própria.
Empregadores: 2.308

5º) Arraial do Cabo
Dos 8.746 empregados no município, 2.644 (30,2%) trabalhavam sem carteira de trabalho assinada.
3.363 pessoas trabalhavam por conta própria.
Empregadores: 200

6º) São Pedro da Aldeia 
Dos 27.801 empregados no município, 7.981 (28,7%) trabalhavam sem carteira de trabalho assinada.
8.300 pessoas trabalhavam por conta própria.
Empregadores: 684

7º) Rio das Ostras
Dos 36.201 empregados no município, 9.301 (25,6%) trabalhavam sem carteira de trabalho assinada.
12.294 pessoas trabalhavam por conta própria.
Empregadores: 1.243

Fonte: http://www.censo2010.ibge.gov.br/amostra/

Meu comentário:
Se não bastasse termos, nos municípios da Região dos Lagos, classes dirigentes, em sua ampla maioria, corruptas e/ou incompetentes, ainda temos grandes parcelas das classes empresariais formadas por exploradores que fazem de tudo para não pagar direitos trabalhistas dos seus empregados. Depois não adianta reclamar dos    ambulantes e camelôs que proliferam em nossas cidades. Reparem no altíssimo número de trabalhadores por conta própria, beirando a 30% da mão de obra empregada. Observem que na rica e sofisticada Búzios temos os piores patrões da Região, só superados pelos de Iguaba. Como diria mestre Chicão: "não é meigo!"  

Os fabricantes de miséria - os sem mobilidade urbana



Pessoas ocupadas na semana de referência, que trabalhavam fora do domicílio e retornavam para seu domicílio diariamente, por tempo habitual de deslocamento para o trabalho.


1º) Rio das Ostras
Área: 229,043
14.496 (38,6% do total) trabalhadores perdem habitualmente mais de 1/2 hora no deslocamento para o trabalho: 9.169, mais de 1/2 h a 1h; 4.679, mais de 1h a 2h; e 648, mais de 2 horas.


2º) Iguaba Grande
Área: 51,945 km²
1.892 (31,1 %) trabalhadores perdem habitualmente mais de 1/2 hora no deslocamento para o trabalho: 1.464, mais de 1/2 h a 1h; 297, mais de 1h a 2h; e 131, mais de 2 horas.


3º) São Pedro da Aldeia
Área: 332,792 km²
8.864 (29,7%) trabalhadores perdem habitualmente mais de 1/2 hora no deslocamento para o trabalho: 7.174, mais de 1/2 h a 1h; 1.261, mais de 1h a 2h; e 429, mais de 2 horas.


4º) Araruama
Área: 538,023 km²
9.822 (29,4%) trabalhadores perdem habitualmente mais de 1/2 hora no deslocamento para o trabalho: 6.776, mais de 1/2 h a 1h; 2.227, mais de 1h a 2h; e 819, mais de 2 horas.


5º) Cabo Frio
Área: 410,415 km²
18.253 (28,5%) dos trabalhadores perdem habitualmente mais de 1/2 hora no deslocamento para o trabalho: 13.669, mais de 1/2 h a 1h; 3.482, mais de 1h a 2h; e 1.102, mais de 2 horas.


7º) Arraial do Cabo
Área: 160,286 km²
1.405 (15,7%) dos trabalhadores perdem habitualmente mais de 1/2 hora no deslocamento para o trabalho: 1.027, mais de 1/2 h a 1h; 301, mais de 1h a 2h; e 77, mais de 2 horas.

8º) Armação dos Búzios
Área: 70,278 km²
1.182 (11,5 %) trabalhadores perdem habitualmente mais de 1/2 hora no deslocamento para o trabalho: 998, mais de 1/2 h a 1h; 144, mais de 1h a 2h; e 40, mais de 2 horas.

Fonte: http://www.censo2010.ibge.gov.br/amostra/

domingo, 29 de abril de 2012

Manifestação em defesa do Mangue de Pedra


Quem ama Búzios de verdade vai estar lá!


Ver: 












10)           ”Basta!”

11)           ”O Mangue de Pedra é nosso! 2”

Olha o que a mulher do governador anda fazendo com o teu dinheiro

Adriana Ancelmo com as amigas exibe o seu sapato Christian Louboutin, num modelo de R$ 10 mil



"Anunciei que iria postar agora o vídeo de Cabral, Cavendish e sua turma no show do U – 2, em Paris. Mas vendo arquivo de fotos e vídeos uma imagem me chamou atenção e causou indignação, e que certamente vai provocar a mesma reação de quem ler o blog. Na foto abaixo, a esposa de Cabral e do secretário Sérgio Côrtes acompanhadas de mais duas amigas exibem os sapatos Christian Louboutin, que faz os modelos mais caros do mundo.

Pra se ter uma idéia o modelo que Adriana Ancelmo calça custa R$ 10 mil. Isso mesmo. Como vocês poderão ver abaixo, num site de moda, a Primeira-Dama do Rio se dá ao luxo de usar o mesmo modelo de sapatos que Lady Gaga e Sarah Jessica Parker, do seriado Sex and the City e outras celebridades mundiais. Por isso talvez ela esteja tão eufórica e deslumbrada".



Fonte: http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=10746


Olha o que o governador anda fazendo com o teu dinheiro




”Vocês vão ver no vídeo abaixo, o restaurante que Cabral fechou em Paris para comemorar junto com seus amigos, o aniversário da sua mulher Adriana Ancelmo. Fontes que consultei informaram que em condições normais com esse restaurante aberto ao público, um jantar regado a vinhos franceses não sai por menos de US$ 2.000 por pessoa. Imaginem quanto custou fechando restaurante só para a turma de Cabral fazer a festa. 

Embora Cabral tenha negado na sua nota oficial, trata-se do restaurante L’Espadon, do Hotel Ritz, em Paris, um dos mais sofisticados da Europa. Uma estimativa por alto calculou que uma semana para quatro casais, viajando em 1ª classe, se hospedando num dos hotéis mais caros do mundo, almoçando e jantando nos restaurantes mais sofisticados, fazendo compras em lojas de luxo e ainda comprando ingressos para o show do U – 2, na área mais cara do Stade de France deve ter custado cerca de US$ 400 mil. Mais uma vez a turma de Cabral se diverte com o dinheiro do povo. 


Na nota anterior citei que o gasto dessa farra foi em torno de US$ 100 mil, mas esse é o cálculo por casal levando em consideração que a farra em Paris durou uma semana. Somando os quatro casais dá cerca de US$ 400 mil. 


Vocês vão assistir Cabral dando uma de maestro regendo o “Parabéns” para sua mulher Adriana enquanto o povo da Região Serrana sofre sem as casas que Cabral prometeu e não fez até hoje. Sérgio Côrtes na maior felicidade enquanto pessoas morrem nas filas dos hospitais estaduais. Parece um filme de conto de fadas, com príncipes encantados e rainhas em palácios. O cinegrafista foi Cavendish usando o seu telefone celular. 

O povo revoltado e perplexo assiste à verdadeira orgia praticada por quem deveria dar o exemplo.”


Os fabricantes de miséria - os excluídos da era digital

Consultando os resultados gerais da amostra do censo 2010 do IBGE divulgado no dia 27 de abril descobri informações sobre números de domicílios com computador e com acesso à internet. Fiquei impressionado com o tamanho da exclusão digital a que são submetidas amplas maiorias das populações dos milionários municípios da nossa região. Só uma elite política dirigente retrógrada e perversa seria capaz disso!

1º) Rio das Ostras
Domicílios com computador: 17.570
Domicílios com computador com acesso à internet: 13.835 (39,9% dos domicílios)
Excluídos da era digital: 60,1% dos moradores.

2º) Arraial do Cabo
Domicílios com computador: 4.229
Domicílios com computador com acesso à internet: 3.434 (38,3% dos domicílios)
Excluídos: 61,7%

3º) Armação dos Búzios
Domicílios com computador: 3.932
Domicílios com computador com acesso à internet: 3.135 (34,7% dos domicílios)
Excluídos: 65,3%


4º) Cabo Frio
Domicílios com computador:25.940
Domicílios com computador com acesso à internet: 20.446 (34,3% dos domicílios)
Excluídos: 65,7% 

5º) Iguaba Grande
Domicílios com computador: 3.431
Domicílios com computador com acesso à internet: 2.391(31,5 % dos domicílios)
Excluídos: 68,5% 


6º) São Pedro da Aldeia

Domicílios com computador: 11.416
Domicílios com computador com acesso à internet: 8.676 (31,2% dos domicílios)
Excluídos: 68,8%


7º) Araruama

Domicílios com computador: 13.227
Domicílios com computador com acesso à internet: 9.463 (26,4 % dos domicílios)
Excluídos: 73,6%


Fonte: http://www.censo2010.ibge.gov.br/amostra/

sábado, 28 de abril de 2012

Os fabricantes de miséria - vivendo com 1 salário mínimo (2)

'Operários' de Tarsila do Amaral.

No dia 8 de junho de 2011 eu publicava no meu blog anterior (Blog do Luiz do PT) com base dos dados do IBGE: 

Total de Domicílios Particulares Permanentes com rendimento nominal mensal domiciliar per capita até 1 salário mínimo:

1) Araruama - 20.858 (58,25%) de um total de 35.807 domicílios.
2) São Pedro da Aldeia - 15.448 (55,68%) de um total de 27.743.
3) Cabo Frio - 30.869 (51,93%) de 59.443.
4) Iguaba Grande - 3.918 (51,68%) de 7.580.
5) Arraial do Cabo - 4.604 (51,40%) de 8.956.
6) Armação dos Búzios - 4.227 (46,90%) de 9.012.
7) Rio das Ostras - 14.379 (41,47%) de 34.666.


Agora, no dia 27, o IBGE publicou em seu site (http://www.ibge.gov.br/home/) os resultados gerais da amostra do censo de 2010: 

Pessoas de 10 anos ou mais de idade, por classes de rendimento nominal mensal, vivendo sem rendimento e com rendimentos de até 1 salário mínimo

1º) Araruama  
População: 112.008 habitantes.
32.232 (28,7%) sem rendimento e 27.644 ( 24,6%) com rendimento até 1 SM. 
Total: 53,3%

2º) Iguaba Grande 
População: 22.851 habitantes 
7.220 (31,5%) sem rendimento e 4.796 (20,9%) com rendimento até 1 SM.
Total: 52,4% 

3º) São Pedro da Aldeia
População: 87.875 habitantes
25.277 (28,7%) sem rendimentos e 18.657 (21,2%) com rendimentos até 1 SM.
Total: 49,9%

4º) Arraial do Cabo
População: 27.715 habitantes
7.474 (26,9%) sem rendimentos e 6.000 (21,6%) com rendimentos até 1 SM. 
Total: 48,6% 

5º) Cabo Frio
População: 186.227 habitantes
50.679 ( 27,2%) sem rendimentos e 36.026 (19,3%) com rendimentos até 1SM.
Total: 46,5%

6º) Armação dos Búzios
População: 27.560 habitantes
7.775 (28,2%) sem rendimentos e 3.840 (13,9%) com rendimentos até 1SM.
Total: 42,1%  

7º) Rio das Ostras
População: 105.676 habitantes
28.367 (26,8%) sem rendimentos e 14.231 (13,4%) com rendimentos até 1SM.
Total: 40,2%

Meu comentário:

É o que eu venho dizendo: os governantes dos riquíssimos municípios da Região dos Lagos são verdadeiros fabricantes de miséria por incompetência ou por desvio de dinheiro público, ou as duas coisas juntas. Reparem que Rio das Ostras sempre se destaca em relação aos outros. Por que será? Não será porque é o único município da Região que tem orçamento participativo?

Comentários:

  1. Concordo com tudo que disseste professor Luiz Carlos. Aliás, Vou Além, pois os Vereadores da Região, também, e principalmente são, e tem sido responsáveis por toda essa miséria da população.

    Nosso sistema é de freios e contra pesos, aonde legislativo, executivo e judiciário seriam poderes harmônicos, autônomos e independentes entre si.

    Porém, o que vemos são os vereadores do legislativo em conluio com os prefeitos da região, em detrimento, sofrimento e miséria da população.

    E, infelizmente, o pior é que Aquela máxima se cumpre:

    "Tudo o que é necessário para o triunfo do mal, é que os homens de bem nada façam"(Edmund Burke)

Audiência pública do Mangue de Pedra na câmara de vereadores



Estavam presentes na audiência pública do mangue de pedra na câmara de vereadores de Búzios os vereadores Genilson, João Carrilho, Evandro, Nobre, Joice e Lorram, deputada estadual Janira Rocha do PSOL, promotor Leonardo, Denise Morand do FECAB, Alexandre Alvariz do IAB-Búzios, Sérgio Ricardo do gabinete da Deputada Janira, Doutor Wolfgrand Santos da OAB - Cabo Frio e dona Uia representando os quilombolas da Rasa.

Todos que se manifestaram deixaram claro que estavam ali para defender o mangue de pedra ameaçado pela construção do Gran Riserva, empreendimento da imobiliária Península.

Só não entendi o que defendiam os vereadores Lorram e Joice. Eles defendiam o prefeito ou defendiam a obra da Península? Ou defender o prefeito é defender a Península? O prefeito se confunde com a Península? O prefeito é prefeito de todos nós ou é o prefeito da Península?

O que será que essa Península tem que para vir para Búzios foi necessário se criar uma lei especial para ela: a Lei 17, de iniciativa do vice-prefeito Alexandre Martins. Por que será que essa imobiliária se mete em tantos empreendimentos imobiliários problemáticos como o condomínio Laken Graden? Foram tantos os problemas com a Lei 17 que os vereadores foram obrigados a revogá-la. Por que será que logo depois o vice-prefeito volta à carga com a lei 20, beneficiando de novo a Península? Nova pressão popular faz com a nova lei fosse revogada. Por que será que o prefeito da Península vetou a decisão da Câmara? Por que será que a Península anuncia tanto no ex-jornal do secretário de planejamento, responsável pela liberação das licenças de obras da Península? O prefeito Mirinho Braga é prefeito de Búzios ou prefeito da Península?


Comentários:


  1. Caramba, visto assim, é mais grave ainda... Estou revoltada.
    O que pensa esse inho??????
    Ah, já sei, eu, mais eu, mais eu..
    Onde estava esse despreparado que não foi se emocionar com o Matheus??
    Ainda bem que vivi para assistir aquele menino falar.
    Creio que a vida de ninguém será igual depois daquele momento.
    Obrigada Matheus. Acredito que agora o mangue será salvo!
    Também tenho a dizer que todos que falaram foi de maneira muito verdadeira.
    Obrigada por serem quem são.

    Ver:











    10)           ”Basta!”

    11)           ”O Mangue de Pedra é nosso! 2”

quinta-feira, 26 de abril de 2012

O prefeito da Península - 3










Após enviar seu anteprojeto de lei do Plano Diretor (PD) à Câmara em 18/08/2004 e ver que os vereadores, em plena campanha eleitoral, não estavam dispostos a votá-lo ainda em seu mandato, o prefeito Mirinho Braga denunciou que estava "se armando um grupo político ligado à construção civil, disposta a financiar a não aprovação do mesmo" (JAB, 17/07/2004). Como empresários da construção civil não fazem emendas e sim vereadores, o que Mirinho estava denunciando, com todas as letras, é que tinha vereadores financiados para legislar para a especulação imobiliária. Quando alertou que não queria que "surgissem, como surgiu na LUOS, algumas emendas estranhas", entregou a si próprio. Então a LUOS aprovada em seu primeiro mandato não era essa maravilha que tinha apregoado, não passava de puro marketing. Sem querer acabou confessando o que era notório: a sua LUOS tinha sido feita sob medida para a especulação imobiliária, nada tendo de preservacionista. E não fora a toa que convidara para secretário de planejamento o Sr. George Clark, presidente do ENARQ,  e um agente da construção civil fortemente atuante no município.

Como os três vereadores da oposição (DJ, Adilson e Evandro), sozinhos, não conseguiriam alterar o PD, Mirinho colocou sob suspeita os vereadores de sua base de sustentação na 2ª legislatura. Quando diz que o mesmo fato- aprovação de "emendas estranhas"- também ocorreu com o anteprojeto da LUOS colocou também sob suspeita os vereadores de sua base da 1ª legislatura. Muitos vereadores teriam sido comprados pela especulação imobiliária para aprovar suas emendas. Isto está claro na declaração do prefeito.

Essas coisas não são novidades porque a especulação imobiliária é um personagem que se esconde tanto nos corredores câmara de vereadores quanto nos corredores da prefeitura e está disposta a matar a nossa galinha dos ovos de ouro..."Este maquiavélico personagem vem sob a forma de uma raposa, animal exótico em Búzios, que suga os ovos e as laranjas e depois joga as cascas e os bagaços fora, partindo em busca de outros galinheiros e pomares para explorar"... A especulação imobiliária "já mostrou os seus efeitos devastadores no feio bairro do Canto Direito de Geribá (grifo nossoe nos municípios vizinhos (Arraial do Cabo, Araruama, e outros)... "Sempre prontos para auferir gordos lucros às custas da economia das cidades e do meio ambiente, os gananciosos especuladores, vêm com suas construtoras e imobiliárias, sem pedir passagem, arrasando tudo tal qual o Furacão Katrina"..."As próprias construtoras trazem a mão-de-obra para construir seus projetos padronizados e adaptados, em linhas de produção, como se fossem fábricas, derrubando o mito da produção de empregos (grifo nosso). O que a especulação sempre produz, comprovadamente, nos seus ciclos áureos é o aumento das favelas e periferias, pela atração de trabalhadores não aproveitados quando o ciclo se esgosta (Helena Oestreich, JPH, 22/09/2005).

Ver:





”O prefeito da Península – 6  (final)”     

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Deputado Jânio Mendes tentar calar blog do professor Chicão

O deputado Jânio Mendes entrou com processo no Juizado Especial Cível de Cabo Frio (processo nº 0007110-95.2012.8.19.0011) contra o professor Chicão pedindo indenização por dano moral. O deputado demonstra com sua atitude que é muito pouco democrático. Blogueiros realmente comprometidos com a liberdade de expressão não podem permitir que o professor sofra qualquer tipo de restrição em suas postagens que de forma alguma atacam a honra pessoal do deputado. 

A partir de hoje vou seguir a sugestão do blogueiro Alan do Chaparral reproduzindo aqui neste blog tudo que o professor postar a respeito da atuação política do deputado.  

Segue a última postagem feita pelo professor Chicão: 

Janio Mendes entra com processo contra mim



Em vez de explicar para a população por que:


VOTOU CONTRA OS PROFESSORES
VOTOU CONTRA OS BOMBEIROS
VOTOU A FAVOR DO AUMENTO DAS BARCAS
VOTOU CONTRA A INVESTIGAÇÃO DA CEDAE
VOTOU A FAVOR DA PRIVATIZAÇÃO DA SAÚDE
VOTOU UM AUMENTO DE 100 % PARA O PRÓPRIO SALÁRIO
FOI EM EVENTO HOMOFÓBICO

O prefeito da Península - 2








O abalo sofrido com o tombamento estadual, que reduziu em muito sua  "fúria construtiva" na península, com perdas de áreas valiosíssimas, fez com que a especulação imobiliária atacasse o tesouro maior de Búzios: as ZCVSs. Em plena discussão do PD, depois da 2ª audiência pública, o vereador Valmir da Raza apresenta projeto de lei (Lei Complementar 003) que altera a LUOS permitindo a construção de condomínios nas ZCVSs. Encaminhado para o executivo em 3/11/2003, o projeto de lei retorna para a Câmara em 24/11/2003, sem ser sancionado nem vetado pelo prefeito, para depois ser sancionado pelo presidente da Câmara, vereador Fernando Gonçalves. Desde o inicio da tramitação da lei, Mirinho dizia que este não era o momento para alterar a LUOS, já que o PD estava sendo elaborado. Mais: disse que vetaria a lei (Jornal Armação dos Búzios, 21/11/2003). Mas Mirinho mentiu. Não vetou nada!

A Lei Complementar (LC) 003, de 18/06/2003, ficou conhecida como Lei Valmir, mas mais apropriadamente deveria ser chamada de Lei Otavinho. Sem o mínimo pudor, o próprio Valmir (assumindo ser cabeça não pensante, pelo menos por conta própria) afirmou que "este projeto é um entendimento de cabeças pensantes da cidade como Otavinho e o Clemente" (JAB, 25/20/2003). Segundo o jornal Armação dos Búzios, o projeto de Lei foi idealizado por Otavinho a pedido do especulador imobiliário Clemente Magalhães ( JAB, 25/10/2003). Vejam como a especulação imobiliária é insistente: Otavinho já havia encaminhado à Câmara (através dos vereadores da especulação imobiliária) projeto semelhante, na época da criação da LUOS, em 1999 (OPM, 20/06/2003).

Registre-se a coincidência entre os argumentos de Prefeito Mirinho e dos vereadores da especulação que aprovaram a Lei. Para Mirinho não se podia impor grandes restrições à construção civil porque isso traria desemprego. Enquanto não tivermos o turismo de qualidade, segundo ele, vale a tese "mais obras, mais empregos". De acordo com o vereador Valmir da Raza, que apresentou o projeto de lei, "os ricos vão voltar" (OPM, 20/06/2003). "Queremos garantir a sustentação financeira para o povo buziano que trabalha na construção civil" (Valmir, JAB, 31/10/2003). Na mesma linha, para o vereador Isaías a Lei vai "abrir a possibilidade de se poder recuperar aqueles milionários que sumiram de Búzios", dando uma aquecida na economia (JAB, 12/09/2003).

A Lei Complementar 003 que Mirinho tinha dito que ia vetar mas não vetou beneficiava meia dúzia  de proprietários de mais ou menos 10 ZCVS. Foi a primeira Lei que a Câmara de vereadores de Armação dos Búzios criou sem nenhuma participação do Executivo Municipal, até mesmo sem o veto prometido, mostrando que os dois poderes tinham grandes interesses nos "costões buzianos" (JAB, 21/11/2003).

Como a especulação imobiliária é faminta por terras, depois de atacar as ZCVSs ela parte pra cima do tesouro dos tesouros de Búzios: a APA da Azeda-Azedinha. Novamente o vereador da especulação imobiliária, Valmir da Raza, apresenta novo projeto de Lei (Lei Complementar 005/2003) criando taxa de impermeabilização de 3% e viabilizando escavação "para tornar a Lei da APA constitucional" e evitar  uma suposta "ação judicial de 2 milhões de dólares". George Clark, secretário de planejamento de Mirinho, como não poderia deixar de ser, concordou: deve haver "o mínimo possível de movimentação de terra" (JAB, 12/12/2003). Para o presidente da Câmara de Vereadores, Fernando Gonçalves, a lei era inconstitucional porque não previa arruamento nem mesmo calçada. O prefeito Mirinho Braga, que se dizia grande defensor do meio ambiente de Búzios, lavou as mãos: "não viu o que foi alterado, como foi  e se pode prejudicar a APA". Cego, surdo e mudo!

Quem matou a charada, na época, foi o vereador DJ: "Ou os vereadores estão jogando na contramão do governo, ou é uma proposta do governo enrustida..." (DJ, JAB, 19/12/2003). Era uma proposta do governo! "Acho a discussão do Movimento Viva Búzios super válida, acho ótimo, excelente. O que eu quero na realidade é perpetuar a lei ... São 97% de área resguardada e protegida. Vamos olhar um pouquinho com o coração e com a razão também" (Mirinho, Buziano). Com as portas abertas pela Lei, a especulação imobiliária consegue aprovar projeto de condomínio na APA da Azeda sem sequer ouvir o Conselho Gestor da APA (Flávia Rosas, JAB, 30/09/2004). Novamente o prefeito Mirinho diz desconhecer a informação. Promete que vai pedir aos secretários de planejamento e de meio ambiente que se abra a discussão de "baixo pra cima". Mentira! Não teve discussão nenhuma. E no apagar das luzes de seu segundo governo (2001-2004) aprova projeto de condomínio na Azeda, colocado dentro do saco de maldades que deixou para o governo recém eleito.

Na verdade a alteração na lei da APA da Azeda foi uma resposta da especulação imobiliária ao  tombamento estadual, considerado, por ela e pelo governo municipal, como um "estupro". Os vereadores Valmir da Raza e Isaías declararam, na ocasião, ter havido uma ingerência do estado em solo do município. "Nós sofremos um estupro em nossa cidade" (Valmir, JAB, 31/10/03). "A governadora assinou um decreto e empurrou goela abaixo o tombamento da área" (Isaías, idem).

Ver: "O prefeito da Península - 1"

Comentários no Facebook:


segunda-feira, 23 de abril de 2012

Audiência Pública Mangue de Pedra


Ver:











10)           ”Basta!”

11)           ”O Mangue de Pedra é nosso! 2”

O prefeito da Península - 1








O Plano Diretor (PD) do prefeito Toninho Branco "foi feito por encomenda para atender a interesses da especulação imobiliária" (Mirinho Braga, jornal A Raza, 6/4/2012).

Neste texto vou tentar provar que o prefeito Mirinho Braga não tem nada de preservacionista. Como o ex-prefeito Toninho Branco também ele é um representante da especulação imobiliária de Búzios. Cada um representa politicamente frações desse segmento social.

Para provar nossa tese partiremos da análise da elaboração da Lei do Uso e Ocupação do Solo (LUOS) no seu primeiro mandato e das alterações sofridas pela Lei ao longo dos seus dois mandatos posteriores.

Mirinho considerou a confecção da LUOS como a "obra mais importante" de seu primeiro mandato. Segundo ele, "com essa lei arrumamos alguns adversários poderosos" (Mirinho, Buziano, 31/03/00). 
" Todo pessoal ligado à construção civil, construtores, proprietários, disseram que íamos acabar com Búzios, pois estávamos muito restritivos" (Mirinho, JPH, 11/11/06). 

Em junho de 1999, o Executivo encaminhou o anteprojeto da LUOS, elaborado com assessoria do IBAM, para a Câmara de vereadores. O ENAC, atual ENARQ (Associação de Engenheiros e Arquitetos), apresenta um relatório propondo 28 emendas ao anteprojeto. Destas, 24 foram incluídas pelos vereadores na Lei aprovada em 24/02/2000. 

Segundo o arquiteto Alberto Bloch, a Lei Complementar 002, de 24/02/2000 (LUOS),  depois de emendada pelos vereadores "é uma lei repleta de erros e brechas" que permitem que a "especulação imobiliária continue a rifar o maior patrimônio do município". As emendas apresentadas pelo ENAC estavam na mesma linha defendida pela entidade de "construir mais e abrir novos espaços" (Alberto Bloch, Buziano, 15/09/2001). Principais alterações feitas: 1) tem casos de ZCVS, com taxa de ocupação de 6% (O IBAM tinha proposto 3%) que viraram ZOC (Zona de Ocupação Controlada) (caso de grande área na Marina); 2) Lotes mínimos da ZIS ( Zona de Interesse Social) aumenta de 300 para 360 m²; 3) Modificação drástica da fração para condomínios com aumento de 60% no número de unidades previstas (em um terreno de 10 mil m², aumenta de 10 para 16 unidades) (Buziano, 12/2/2000). 

 Pior ainda: ter uma LUOS sem o Código de obras só beneficia a especulação imobiliária, porque não se tem como estabelecer "como ocupar a parte que não é construída (deques, piscinas, quadras). "Você pode impermeabilizar um terreno inteiro e construir apenas uma pequena parcela". "Se impermeabilizar o terreno inteiro, a taxa de ocupação é zero" (Alberto Bloch, Buziano, 15/09/2001). 

A confecção da LUOS, tão elogiada por Mirinho à época, "não passou de um grande marketing", porque na verdade ela não protegeu o meio ambiente, os atributos paisagísticos e não evitou o crescimento desordenado" (Buziano, Opinião, 15/09/2001). Mirinho tentou passar a ideia de que teria contrariado o interesse econômico de grupos muito fortes. Na época, afirmou: "Búzios é uma cidade pequena mas cheia de poderosos. A nossa luta pela preservação ambiental não é uma tarefa fácil" (Mirinho, O Peru Molhado, OPM, 29/9/2001).

Nessa ocasião, o prefeito Mirinho ainda conseguia enganar a alguns, tanto que nas eleições de 1996 os ambientalistas de Búzios apostaram suas fichas na sua candidatura  contra o candidatura da especulação imobiliária, Clemente Magalhães (a especulação perdeu a eleição majoritária mas elegeu três vereadores: Valmir da Raza, Otavinho e DJ). Entusiasmados com a criação da APA da Azeda (19/08/98) logo se decepcionaram com a não criação de outras APAs, em especial, a APA das Emerências (APA do Pau-Brasil) que, mesmo tendo projeto de lei apresentado por vereadores de sua base de sustentação, Isaías e Maria Alice, não foi à frente "por falta de vontade política do prefeito Mirinho Braga" (Edson Bedin, OPM, 6/12/2002).

A APA do Pau Brasil não saiu porque o jovem prefeito Mirinho Braga já estaria comprometido com a especulação imobiliária de Búzios. Além do que não poderia impor restrições à construção civil porque precisava agasalhar os "construtores falidos de Cabo Frio" (Alair Corrêa, OPM, 31/08/2001) com a derrota de José Bonifácio por lá. A aliança é tão real que a especulação imobiliária não precisou lançar candidato nas eleições de 2000. O que não faz uma LUOS a seu feitio. 

Se não bastasse isso, Mirinho coroa sua aliança com a especulação convidando o presidente do ENARQ para o estratégico cargo de Secretário de Planejamento, George Clark. Mais um presentinho: deixa o  IAB Búzios e o Movimento Viva Búzios de fora do CDUMA - Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, criado por Lei em 1999 e instalado em dezembro de 2002, como órgão consultivo do Sistema Municipal de Planejamento. Composto por representantes das secretarias de Planejamento, Meio Ambiente, Turismo, Finanças, Habitação, Gabinete do Prefeito, 2 vereadores e por representantes da sociedade civil: ACEB, AHB e, como não poderia deixar de ser, o ENARQ!

Com a decretação da APA do PAU BRASIL (Decreto Estadual 31.346) os ambientalistas dão o troco. Segundo o subsecretário estadual de meio ambiente, Edson Bedin, "a fúria imobiliária passará a ser detida, pelo menos nesta área". O tombamento estadual abrangeu 600 mil m² de áreas verdes, incluindo 7 praias. Para Marcus Monteiro, do INEPAC, a medida foi adotada "porque Búzios estava sendo completamente destruída pela especulação imobiliária". Só restou a Mirinho o protesto: o tombamento foi "uma inabilidade do governo estadual" (OPM, 17/10/2003).

Ver: "O prefeito da Península - 2"

Comentários no Facebook:


domingo, 22 de abril de 2012

Vergonha: canto esquerdo de Geribá



Este é o Canto Esquerdo da praia de Geribá. Fotos tiradas dia 19, quinta-feira.  Já sofreu duas intervenções dos dois desgovernos que tivemos. Já gastaram uma fortuna aí. Na sexta-feira as águas fétidas foram cobertas com areia. Que beleza! Uma praia de renome internacional no melhor destino mundial de sol e praia. Búzios não merece isso!


  • Francisco Mesquita Agora te pergunto, como um governo desses pode alcançar dentro de um bairro desses apoio? Isso é o mais incrível. O mirinho e alguns dos seus acessoares estão viajando à Europa com tudo pago pela AMPLA, em quanto isso, jovens do nosso Município estudam em uma escola com suas estruturas comprometida.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Qual a nota da escola do seu filho?


Descubra em dois minutos se a escola do seu filho tem uma Educação de qualidade. Nesta ferramenta, você vê e compara a nota do Ideb das escolas de 5 550 cidades do Brasil.





As mentiras do prefeito 8

Foto do jornal A Raza
"Mas nada atrasou mais o nosso trabalho que as dívidas deixadas pelo antigo governo. Tínhamos um orçamento em 2009- quando reassumimos- de R$ 90 milhões com uma dívida de R$ 42 milhões. Dívida com PROLAGOS, AMPLA, fornecedores e a principal que é com o INSS. Quando você deve o INSS as verbas federais são bloqueadas" (5).

"Levamos mais de 2 anos em planejamento e pagamento de dívidas. Hoje devemos apenas os parcelamentos do INSS" (5).

"Esse parcelamento representa um pagamento mensal de R$ 400.000,00 ao INSS. Isso representa por baixo 4 ruas drenadas e pavimentadas por mês. Se multiplicarmos 4 por 48 meses teremos quase 200 ruas pavimentadas em Armação dos Búzios" (5).

Menos, prefeito. Menos. O seu secretário de finanças à época, Jânio Mendes, em entrevista ao Jornal de Sábado, de 28/03/2009, o desmente. Segundo ele a dívida total não passava de 25 milhões de reais. Reconhece que a principal dívida era com o INSS no valor de 20 milhões. Montante que foi renegociado com o governo federal obtendo-se um parcelamento de 240 meses. Ora, prefeito, 20 milhões dividido por 240 meses dá R$ 83.333,33 por mês, valor bem distante dos R$ 400.000,00 dito pelo senhor.

Na verdade, o senhor não consegue fazer nada não é por causa de um parcelamento de míseros 83 mil reais por mês. O que o impede de cumprir as suas promessas de campanha é o loteamento que o senhor fez na prefeitura, com contratos superfaturados, aluguéis de imóveis e de carros  sobrevalorizados, e o empreguismo desenfreado de parentes, amigos e cabos eleitorais. Um verdadeiro governo amigo dos amigos. E que o resto da população se exploda!

Índice:

1) Folha dos Lagos, dia 3/4/12
2) Folha dos Lagos, dia 4/4/12
3) Folha dos Lagos, dia 5/4/12
4) Folha dos Lagos, dia 6/4/12
5) Jornal A Raza,     dia 6/4/12


Ver:

"As mentiras do prefeito 7"




  • Maria Do Horto Moriconi kkkkkkkkkkkkk ele é tão sem conteúdo e menospreza tanto os ouvintes que nem reparou a quantidade de bobagens ditas... tudo na vida deveria ser gravado e colocado em um biodigestor... ia cheirar beeeemmm...