Logo do blog

Logo do blog

publicidade5

publicidade5

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Mais uma condenação de Mirinho 3

Foto do blog Jornal do Totonho

Processo No 0001783-12.2005.8.19.0078
TJ/RJ - 31/10/2012 21:26:39 - Primeira instância - Distribuído em 01/12/2005
Comarca de Búzios
1ª Vara
Cartório da 1ª Vara
Endereço:
Dois s/nº Estrada da Usina
Bairro:
Centro
Cidade:
Armação dos Búzios
Assunto:
Abuso de Poder / Atos Administrativos
Classe:
Ação Civil Pública
Autor
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO e outro(s)...
Procurador
FABIO CARDOSO PEREIRA
Réu
DELMIRES DE OLIVEIRA BRAGA
TIPO
PERSONAGEM
Autor
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Autor
MUNICÍPIO DE ARMAÇÃO DOS BÚZIOS
Procurador
FABIO CARDOSO PEREIRA
Réu
DELMIRES DE OLIVEIRA BRAGA
Advogado
(RJ066567) SERGIO LUIZ DA SILVA SANTOS


Personagens baixados/excluídos:
Réu
MUNICÍPIO DE ARMAÇÃO DOS BÚZIOS
Ocorrência
Data
Nome anterior
EXCLUÍDO
28/09/2006


Advogado(s):
RJ066567 - SERGIO LUIZ DA SILVA SANTOS


 Veja trechos da sentença: 

"Os documentos contidos nos autos, em especial os Relatórios oriundos do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, contidos ás fls. 325/344, demonstram que o réu procedeu a duas licitações diversas, na modalidade Carta-Convite, para a realização de duas obras no mesmo local, cujo montante total ultrapassa a quantia de R$150.000,00, infringindo o disposto no art. 23, parágrafo 5 da Lei 8666/93, o qual determina, nestas hipóteses, a adoção do procedimento licitatório denominado Tomada de Preços. Pelos documentos de fls. 340/344, verifica-se que o procedimento 105/00, referente á drenagem do canto esquerdo de Geribá, foi vencido pela Construtora Geribá SA, pelo preço de R$102.700,00, ao passo que o procedimento 115/00, destinado á pavimentação daquele mesmo trecho, foi vencido pela Empresa Dubazcon, pelo preço de R$145.960,00 ( fls 336/337). As duas obras foram realizadas ao mesmo tempo, no mesmo local, e juntas, ultrapassaram o limite de R$150.000,00 estabelecido pela Lei 8666/93 para o uso da modalidade de Carta - Convite. Flagrante o desrespeito á legislação licitatória pelo réu, importando no impedimento de outras firmas de participar do certame, as quais poderiam, inclusive, apresentar proposta mais interessante e favorável ao município de Armação de Búzios. Em que pese não tenha restado comprovado a ocorrência efetiva de dano patrimonial ao erário publico, incide á hipótese o disposto no art. 11 da Lei 8429/92, tendo ocorrido improbidade administrativa por parte do réu por ofensa aos princípios da legalidade e da moralidade que devem reger a administração pública. Não vieram aos autos provas que evidenciem terem sido as referidas obras superfaturadas, não se demonstrando que poderiam ter sido realizadas por valores significativamente mais reduzidos. No entanto, a violação aos princípios do certame publico, da igualdade entre os concorrentes, da transparência na escolha dos vencedores, todos decorrentes da adoção de procedimento licitatório indevido e não legalmente autorizado, ensejam grave ofensa á legalidade e á moralidade, princípios básicos que devem gerir a conduta de quem lida com verba pública. A improbidade administrativa praticada pelo réu restou cabalmente demonstrada, ensejando a aplicação das penas postuladas pelo Ministério Publico...

 ... Isto Posto, JULGO PROCEDENTE O PEDIDO e condeno o réu DELMIRES DE OLIVEIRA BRAGA, ao pagamento de multa civil de 50 vezes o valor da remuneração por ele percebida á época das referidas licitações, corrigida com correção monetária desde aquela data, e juros contados da citação. Proíbo-o ainda de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos. Determino a suspensão de seus direitos políticos pelo prazo de três anos, a contar do transito em julgado da presente decisão. Condeno ainda o réu ao pagamento das custas e de honorários advocatícios a serem revertidos para o FEMP, os quais fixo em R$10000,00."

 P.R.I. Rio de Janeiro, 28 de outubro de 2012

 ANA PAULA PONTES CARDOSO 
JUÍZA DE DIREITO

Comentários no Facebook


  • Maria Do Horto Moriconi Guarani Kaiowá Antes tarde do que nunca... E agora? Ainda fica nessa enrolação de recursos e mais recursos??? Bom também que todos os prefeitos da região vejam que um dia a casa cai!

Provável secretariado do Dr. André

Se o futuro prefeito mantiver a atual estrutura administrativa, as secretarias serão ocupadas, segundo o que se comenta na cidade, por:

Gabinete de Relações Institucionais e Ouvidoria - Pedro ( de Arraial da Ajuda)
Procurador Geral - Sérgio Luiz ( não é o do Mirinho)
Planejamento e Orçamento - Carlos Terra
Gestão - Joãozinho Carrilho
Educação - Roballo
Saúde - Drª. Luíza
Desenvolvimento Social, trabalho e Renda - Claudia Carrilho
Obras, Saneamento e Habitação - Genilson
Ordem Pública - Gilberto Lessa
Serviços Públicos - João Carrilho
Meio Ambiente - Muniz
Esporte e Lazer - Zé Eduardo (PT)
Subsecretaria de Cultura e Comunicação - Zé Wilson

Faltam ainda definir nomes para Chefia de Gabinete, Controladoria Geral e Turismo

Comentários:

  1. Enfim, se "as conversas da cidade" se confirmarem, ficará provado que não haverá gota de ousadia. Tudo dantes como no quartel d´abrantes. A Secretaria de obras e habitação continua acumulando o saneamento. Habitação e Saneamento, tudo indica, ficarão aquém, sem bons projetos, sem estrutura de pessoal adequada. Pelo menos subsecretários deveriam ser nomeados para cuidar dessas pastas. Cabe a pergunta: que estratégias e políticas públicas, o Genilson vai traçar para o Município, nos próximos 4 anos, para essas áreas? Como concretizar o programa de Saneamento, drenagem etc. divulgado por Dr. Andre, enquanto candidato?

    Comentários no Facebook:

Plano de governo do Dr. André - saneamento



Ver: "Educação"

Ver: "Saúde"


Comentários:

  1. Excelentes propostas. Indispensáveis. Embora não esteja escrito, espero que o próximo Prefeito, na área de Saneamento, também contemple: (1) rede de drenagem; (2) oferecimento de água a toda a população; (3) severa fiscalização de residências e comércios que não se ligam à rede, optando por jogar dejetos em lagoas, nas ruas, no mar etc. (4) NÃO MENOS IMPORTANTE: que SANEAMENTO BÁSICO, problema estrutural de Búzios, dos mais importantes, ganhe status de Secretaria, o que poderá imprimir à px gestão, inovação e coragem. Não dá pra fazer do Saneamento básico um apêndice na estrutura da Prefeitura. Tem que ter concursado, formado, Engenheiros Sanitaristas, para revolucionar a atual situação.


    Lembro que 2013 é o último ano para que os municípios providenciem seus Planos Municipais de Saneamento Básico - abastecimento de água potável, coleta de esgoto sanitário, de águas pluviais (drenagem), limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos (lixo) sem o que não terão acesso às verbas federais em 2014.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

GUARANI KAIOWÁ SÃO MANTIDOS EM SEU TERRITÓRIO

Guarani-Kaiowá, da comunidade Pyelito Kue, no Mato Grosso do Sul - Foto: Ruy Sposati

por Julieta El-Khouri

Foi suspensa a liminar que determinava a saída dos índios da fazenda, no MS. Os índios ficarão onde estão até que seus territórios sejam demarcados.
Esperamos que a ordem seja cumprida.



Liminar que determinava saída dos Guarani Kaiowá de território no MS é suspensa

ter, 2012-10-30 17:24 — Marcelo

Ministra da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Maria do Rosário, informa por meio do Twitter que acaba "de receber decisão judicial que suspende reintegração de posse do território dos Guarani Kaiowá", no Mato Grosso do Sul

Segundo informou, por meio do Twitter, a ministra da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Maria do Rosário, o governo federal conseguiu suspender nesta terça-feira (30), a liminar que determinava a reintegração de posse da tribo indígena Guarani Kaiowá em Mato Grosso do Sul.
“Acabamos de receber decisão judicial q suspende reintegração de posse do território dos Guarani Kaiowá. Recurso do Gov. Federal foi acatado! (sic)”, comemorou a ministra. Na sequência, ela complementou a informação. “De acordo com essa decisão, os indígenas ficam onde estão! Agora lutaremos p/agilizar o processo de estudos p/ demarcação desse território”.

Na tarde desta segunda, Maria do Rosário, que também preside o Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) recebeu em Brasília uma comissão de representantes da comunidade indígena, junto aos ministros Eduardo Cardoso, da Justiça, e Luís Inácio Lucena Adams, da Advocacia-Geral da União (AGU).

Os conflitos envolvendo a comunidade Guarani Kaiowá se intensificaram após decisão da Justiça Federal do Tribunal Regional da 3ª região (TRF-3) de São Paulo que determinou a reintegração de posse das terras reivindicadas pelos indígenas a fazendeiros locais. No dia 16 de outubro, o Ministério Público Federal em Dourados apresentou recurso no TRF 3 para reformar a decisão.
O governo federal conseguiu suspender nesta terça-feira (30), a liminar que determinava a reintegração de posse da tribo indígena Guarani Kaiowá em Mato Grosso do Sul.

Fonte: BrasildeFato.com

Ato em defesa dos Guarani-Kaiowá


 Publicado em 28/10/2012 por
28 de outubro de 2012 - Centro Cultural dos correios - "Muita comoção com o discurso dessa linda índia que vive na aldeia maracanã, antigo museu do índio. Aos 1:39 minutos fui às lágrimas! "

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Somos todos Guarani-Kaiowás

foto de Anna Sharp.

Comentários:

  1. Participei de uma manifestação no último domingo, no Rio e filmei uma índia que vive na aldeia maracanã (ameaçada de sair de lá já que o Sr. governador que derrubar o prédio para construir "melhorias" para a copa de 2014) fazendo um discurso emocionado e esclarecedor. De início ela fala em tupi-guarani mas depois continua em português. Me levou e levou mais alguns lá às lágrimas. www.youtube.com/watch?v=h8HBMhNNHaw

    e um video da manifestação www.youtube.com/watch?v=pu7VNsbdhPY

    Se puder divulgar...

Como a elite buziana é meiga!

Foto Jph 26/10/2012

Eles só querem a  Azeda e Azedinha!
Eles só querem tirar os quiosques da Ferradura!
Eles só querem 5 navios no Porto Veleiro!

Eles só querem se refestelar!

Comentários no Facebook: 

  • Anny Figueiredo Guarani-Kaiowá .
    A AZEDA/AZEDINHA É NOSSA!!
    Em 2011 a ONG Ativa Búzios solicitou o tombamento da casa da Azeda (primeira casa de veranista de Búzios) ao Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN. Aprovado por Ivo Barreto, do Escritório Técnico do
    IPHAN em Cabo Frio, o processo foi encaminhado a Brasília e já está em fase bem avançada.
    .
    AÇÕES DA ONG ATIVA BÚZIOS:
    http://www.ativabuzios.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=169&Itemid=6


    Comentários:

    1. Esses "novos amigos" nossos que nos ajudaram a derrubar os inhos, bem eles pensam que derrubaram sozinhos, logo, logo verão que não foram sozinhos....podem vir a dar trabalho... Mas olha, Luiz, como neutralizar... como não deixar as cobras criarem asas?!? OK. Estamos aqui, só para isso. Nem praia a gente pega... Aff.. essas pessoas dão um trabalho... acho que não vou chamá-los mais de humanos ou pessoas, vou chamá-los de irracionais... isso é coisa que se faça nas nossas barbas!!!???!!! O inho vai acabar rindo da gente...ou melhor gargalhando... e teremos que dar razão...


      • Silvio Cesar G. Silva Quem tiver a coragem de entrar no Google e digitar o nome desse cidadão chamado PHILIPPE MEEUS vai cair para atrás.

Carta da comunidade Guarani-Kaiowá


Carta da comunidade Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay-Iguatemi-MS para o Governo e Justiça do Brasil

Nós (50 homens, 50 mulheres e 70 crianças) comunidades Guarani-Kaiowá originárias de tekoha Pyelito kue/Mbrakay, viemos através desta carta apresentar a nossa situação histórica e decisão definitiva diante de da ordem de despacho expressado pela Justiça Federal de Navirai-MS, conforme o processo nº 0000032-87.2012.4.03.6006, do dia 29 de setembro de 2012. Recebemos a informação de que nossa comunidade logo será atacada, violentada e expulsa da margem do rio pela própria Justiça Federal, de Navirai-MS.

Assim, fica evidente para nós, que a própria ação da Justiça Federal gera e aumenta as violências contra as nossas vidas, ignorando os nossos direitos de sobreviver à margem do rio Hovy e próximo de nosso território tradicional Pyelito Kue/Mbarakay. Entendemos claramente que esta decisão da Justiça Federal de Navirai-MS é parte da ação de genocídio e extermínio histórico ao povo indígena, nativo e autóctone do Mato Grosso do Sul, isto é, a própria ação da Justiça Federal está violentando e exterminado e as nossas vidas. Queremos deixar evidente ao Governo e Justiça Federal que por fim, já perdemos a esperança de sobreviver dignamente e sem violência em nosso território antigo, não acreditamos mais na Justiça brasileira. A quem vamos denunciar as violências praticadas contra nossas vidas? Para qual Justiça do Brasil? Se a própria Justiça Federal está gerando e alimentando violências contra nós.  Nós já avaliamos a nossa situação atual e concluímos que vamos morrer todos mesmo em pouco tempo, não temos e nem teremos perspectiva de vida digna e justa tanto aqui na margem do rio quanto longe daqui. Estamos aqui acampados a 50 metros do rio Hovy onde já ocorreram quatro mortes, sendo duas por meio de suicídio e duas em decorrência de espancamento e tortura de pistoleiros das fazendas.

Moramos na margem do rio Hovy há mais de um ano e estamos sem nenhuma assistência, isolados, cercado de pistoleiros e resistimos até hoje. Comemos comida uma vez por dia. Passamos tudo isso para recuperar o nosso território antigo Pyleito Kue/Mbarakay. De fato, sabemos muito bem que no centro desse nosso território antigo estão enterrados vários os nossos avôs, avós, bisavôs e bisavós, ali estão os cemitérios de todos nossos antepassados.

Cientes desse fato histórico, nós já vamos e queremos ser mortos e enterrados junto aos nossos antepassados aqui mesmo onde estamos hoje, por isso, pedimos ao Governo e Justiça Federal para não decretar a ordem de despejo/expulsão, mas solicitamos para decretar a nossa morte coletiva e para enterrar nós todos aqui.

Pedimos, de uma vez por todas, para decretar a nossa dizimação e extinção total, além de enviar vários tratores para cavar um grande buraco para  jogar e enterrar os nossos corpos. Esse é nosso pedido aos juízes federais. Já aguardamos esta decisão da Justiça Federal. Decretem a nossa morte coletiva Guarani e Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay e enterrem-nos aqui. Visto que decidimos integralmente a não sairmos daqui com vida e nem mortos.

Sabemos que não temos mais chance em sobreviver dignamente aqui em nosso território antigo, já sofremos muito e estamos todos massacrados e morrendo em ritmo acelerado. Sabemos que seremos expulsos daqui da margem do rio pela Justiça, porém não vamos sair da margem do rio. Como um povo nativo e indígena histórico, decidimos meramente em sermos mortos coletivamente aqui. Não temos outra opção esta é a nossa última decisão unânime diante do despacho da Justiça Federal de Navirai-MS.     

Atenciosamente, Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay

Fonte: ”blog articulação dos povos índigenas”


Guarani Kaiowá não são obrigados a deixar fazenda ocupada em Mato Grosso do Sul


Alex Rodrigues

Repórter da Agência Brasil

Brasília - Os 170 índios guaranis kaiowás que há quase um ano ocupam parte de uma fazenda da cidade de Iguatemi, a cerca de 460 quilômetros da capital sul-matogrossense, Campo Grande, e cuja situação ganhou destaque nacional nos últimos dias não terão que deixar a área. A medida vale pelo menos até que a real situação da propriedade seja esclarecida ou que laudos antropológicos descartem se tratar, como afirmam os índios, de terra tradicional indígena.

Segundo a Justiça de Mato Grosso do Sul, diferentemente do que os índios, as organizações indigenistas e o próprio Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso do Sul chegaram a anunciar, a decisão do juiz federal Sergio Henrique Bonachela, da 1ª Vara Federal em Naviraí (MS), constitui liminar de manutenção de posse e não de reintegração da área ocupada por 100 adultos e 70 crianças guaranis kaiowás desde novembro de 2011.

A Agência Brasil entrou em contato com a Justiça Federal em Mato Grosso do Sul hoje (26) de manhã e continua aguardando uma posição oficial sobre o assunto.

O detalhe jurídico que passou despercebido por muitos pode parecer trivial, mas, na prática, significa que o oficial de Justiça encarregado de fazer cumprir a sentença vai limitar-se a notificar os índios de que o terreno pertence, até prova em contrário, aos proprietários da Fazenda Cambará. O objetivo de uma liminar de manutenção é apenas preservar a posse de quem já vinha ocupando a área até que a situação seja esclarecida. Mesmo assim, a Fundação Nacional do Índio (Funai) e o MPF ajuizaram recursos contra a decisão no dia 16 de outubro e aguardam o julgamento.

De acordo com o promotor da República Marco Antonio Delfino, foram os próprios responsáveis pela fazenda que solicitaram a manutenção de posse. A decisão do juiz federal, favorável ao pedido, foi dada no último dia 17 de setembro. Como não há representação da Justiça Federal em Iguatemi, a incumbência de notificar o grupo indígena foi repassada à Justiça Estadual, por meio de carta precatória. Legalmente, o prazo para que o oficial de Justiça local notifique todo o grupo termina no próximo dia 8.

Segundo o diretor do cartório do Fórum de Iguatemi, Marco Antonio Arce, o oficial de Justiça só não começou a notificar antes os guaranis kaiowás devido à repercussão que o assunto ganhou nos últimos dias por causa da interpretação de uma carta que lideranças indígenas tornaram pública.

No texto endereçado ao governo e à Justiça brasileira, os líderes indígenas falam na possibilidade de morte coletiva ao referir-se aos possíveis efeitos da decisão da Justiça Federal. Dizem que, após anos de luta, o grupo já perdeu a esperança de sobreviver dignamente e sem violência na região onde, segundo eles, estão enterrados seus antepassados. Por fim, informam, em tom de ameaça, que decidiram integralmente não sair com vida e nem mortos e pedem que, se for determinado que eles saiam da área, governo e Justiça enviem "vários tratores para cavar um grande buraco para jogar e enterrar" os corpos.

Embora a palavra suicídio não seja empregada nenhuma vez, a interpretação de que o grupo estaria ameaçando se matar em sinal de protesto gerou uma onda de comoção que ganhou as redes sociais e chegou a ser noticiada por veículos de imprensa internacionais.

De acordo com o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), embora, na carta, o grupo não tenha falado em suicídio, mas sim em morte coletiva no contexto da luta pela terra, a medida extrema tem sido recorrente entre os índios. A organização ligada à Igreja Católica afirma que a situação de confinamento em áreas exíguas, a falta de perspectivas, a violência aguda e a impossibilidade de retornarem às terras tradicionais a que estão sujeitos os vários grupos indígenas que vivem no estado levaram ao menos 555 índios a, isoladamente, tirar a própria vida entre os anos 2000 e 2011. Especificamente em relação aos guaranis kaiowás, o Cimi lembra que, embora já haja 43 mil deles espalhados por Mato Grosso do Sul, apenas oito terras indígenas foram homologadas para o grupo desde 1991.

De acordo com o Ministério Público Federal, até três meses antes de ocupar 2 dos 762 hectares da Fazenda Cambará, os 170 índios viviam acampados às margens de uma estrada vicinal, na mesma cidade. Na noite de 23 de agosto, o acampamento foi supostamente atacado por pistoleiros que, segundo os índios, atearam fogo nas barracas e feriram várias pessoas. O MPF tratou o episódio como genocídio e pediu à Polícia Federal que apurasse as denúncias. Ainda segundo o MPF, a área ocupada faz parte de uma reserva de mata nativa, que não pode ser explorada economicamente e está sendo estudada por antropólogos da Funai que, em breve, devem divulgar suas conclusões.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: "agencia-brasil.jusbrasil.com.br/noticias"

domingo, 28 de outubro de 2012

Quem você acha que deve ser o próximo secretário de educação de Búzios?

O blog dá início a uma nova enquete. Pela importância da educação acho que não se deveria deixar nas mãos de uma única pessoa- mesmo que eleita- o poder de decidir. Pra mim, ele deveria ser escolhido em eleição direta, como prometeu fazer o prefeito eleito do PSOL em Itaocara, Gelsimar. Ou então, que se convocasse todas as associações de moradores, de pais e mestres, de alunos, de profissionais de educação, etc, para, em uma grande assembleia final, escolherem uma lista quádrupla (dois homens e duas mulheres)  a ser apresentada ao novo prefeito. É a proposta, já apresentada aqui, da gestão compartilhada para todas as secretarias. Não vai demorar muito pra termos um prefeito que faça isso.  

Adianto, desde já, que a ideia da enquete é exclusivamente minha. As pessoas elencadas não têm nada a ver com a iniciativa. 

O que quero é levantar discussão (razão de ser do blog) sobre como um prefeito eleito escolhe seu secretariado. Se o secretário escolhido não corresponder aos anseios da população, ou não cumprir o programa apresentado na campanha, o povo vai ter que aturá-lo durante quatro anos? Defendo mais mudanças ainda: que se tenha direito a um RECALL. Não correspondeu, o povo tira. E não só o secretário. O prefeito também. 

Como o prefeito eleito volta de viagem no dia 10 de novembro e sei que ele é leitor do blog, vou encerrar a enquete no dia anterior, dia 9, pra ele escolher já sabendo o nosso escolhido. 

Vote na enquete no canto superior direito, logo abaixo da propaganda do GOOGLE.

  • Jose Figueiredo Sena Sena Companheiro Luiz, eu um simples morador de Búzios, eu espero que tenha uma Secretária de Educação que entenda de Educação, uma Secretária de Saúde que entenda de Saúde, uma Secretária de Obras Públicas que entenda de Planejamento e Obras Públicas e as ...Veja mais
  • Monica Werkhauser os nomes de algumas pessoas não anima no seu enquete, nomes impossives, chiquinho , improbo, carolina e norma, já foram um desastre, roballo não conheço, cristina seria excelente
  • Walter Piana A ULTIMA OPÇÂO É A MAIS CORRETA CADA UM DE ELES TEM SEUS IMPECILHOS MAIS TEM OUTROS NOMES QUE DEBERIAM SER COTADOS
  • Alexandre Santos · 68 amigos em comum
    O próximo secretário de ducacação ou secretátia, deve ser uma pessoas que não tenha medo de agir, que não tenha medo de cobrar, que não tenha medo de enfrentar o problema das drogas nas escolas de Búzios, que tenha a capacidade de buscar uma solução pa...Veja mais
  • Flávio Bustamante Sem dúvida nenhuma existem várias pessoas de bem que poderia ocupar o cargo (concordo com José Figueiredo que tem umas ali na lista do Luiz que não dá né), mas, alem da qualidade de ser do bem e ter boa vontade, o proximo Secretário de Educação tem que...Veja mais
  • Francisco Assis Linharessantos Santos Que tal incluir a Maria Alice e O Sr. tbem nesta lista. Um abraço grande professor

PSOL elege o primeiro prefeito em uma capital

Clécio Luís, de branco, Foto de Priscilla Mendes, G1
“O prefeito eleito de Macapá, Clécio Luís (PSOL), afirmou na noite deste domingo (28) que, embora pertença a um partido de esquerda e de oposição, não fará da prefeitura uma "trincheira" contra o governo federal. Com a vitória de Clécio, o PSOL elegeu o primeiro prefeito em uma capital”...


Comitê do Povo

“Clécio afirmou que a marca de seu governo será a participação popular. Entre suas propostas, está a criação do Comitê do Povo, formado por cidadãos que deverão fiscalizar a execução de obras e programas da prefeitura.

“Isso nos dará ao mesmo tempo a facilidade de fazer o povo entender o que estamos fazendo e também coibir o pior câncer da administração pública, que é a corrupção, que tem infelicitado tanto a nossa cidade”, afirmou.

Plano emergencial

Clécio Luís elaborou um programa emergencial de cem dias cuja prioridade, segundo afirmou, será a saúde. Segundo o prefeito eleito, a terceira maior causa de morte em Macapá é a falta de diagnósticos.

“O povo não está tendo consulta, não está tendo nenhum tipo de prevenção, não consegue diagnosticar. Isso é atenção básica à saúde”, afirmou o prefeito eleito, que prometeu durante a campanha concluir a construção do hospital metropolitano e ampliar o programa Saúde em Casa.
A segunda prioridade do plano emergencial é a limpeza da cidade e desobstrução dos bueiros para diminuir os alagamentos na baixada, de acordo com Clécio. “Macapá, infelizmente, é uma cidade suja, mal cuidada, o mato está tomando conta. Precisamos fazer uma frente de trabalho para limpar a cidade”, disse.

Orçamento

O prefeito eleito, que durante a campanha reclamou do alto endividamento do município, disse que pretende “arrumar a casa” no que diz respeito a orçamento.

“Vamos fazer um diagnóstico situacional no município para que a gente vá atrás das fontes de recursos existentes e já preparar o primeiro concurso público da prefeitura, porque Macapá padece da falta de valorização dos seus funcionários”, afirmou.

Fonte: ”g1”

A galinha encharcada

Esse é o nome do novo jornal que circulará muito em breve nas plagas de Armação dos Búzios. É o que se fala na "boca maldita". Para quem não sabe, a boca funciona na barraca do Cláudio na Praça Santos Dumont. Lá, fica-se sabendo de tudo, ou quase tudo. O Sandro, além de criador da boca, junto comigo e o Adilson da Rasa, agora virou empresário-sócio da própria barraca onde ela funciona. Quem disse que a boca não dá futuro. 

Voltando ao jornal. Cansado de toda semana ter que fechar o PH a quatro mãos, Carlos Terra resolveu criar o seu próprio jornal e convidou o grande amigo Sandro pra ser seu repórter. Parabéns Terra, é muito mais sensato. Antes de dar início ao novo empreendimento resolveram descansar um pouco em Rondônia. Férias merecidas.

Sandro, não tem jeito! Aqui tudo se sabe, principalmente na boca maldita. Os anos de morada em Búzios está tornando-o um verdadeiro buziano. Como aquele nativo empregado da prefeitura que adorava o meu blog. Quando me avistava de longe, vinha desconfiado olhando pra todos os lados com receio de ser flagrado comigo, e próximo a mim, falava bem baixinho pra que ninguém ouvisse: continua Luiz, o blog é muito bom, continua. Hoje, quando me vê, muda de calçada.

Portanto, segundo a boca maldita de Búzios, nosso amigo Sandro terá atividade dupla, como empresário e jornalista. Uns, falam em tripla, com alguma coisa no novo governo. 

PS: um argentino trotskista sugeriu o nome "El Paredon" para o novo jornal. Não acredito que emplaque, porque este não é o estilo do Carlos Terra. Muito menos do Sandro.

Comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...só vc para fazer graça onde não tem graça... Esse povo me enoja... onde fica essa barraca do Cláudio? Estou por fora.. Quero passar bem longe .. precisamos de muito sabão e água para lavar essa sujeirada toda...

    Meu comentário:

    Chegando na Praça pela Turíbio, a barraca fica no canto extremo direito